Governo de SP prorroga vacinação contra poliomielite até o final de junho

Por Outro autor | 17/06/2024

Público-alvo são as crianças de um a quatro anos. Todas as Unidades Básicas de Saúde do estado estão abertas desde 27 de maio para imunizar as crianças contra a paralisia infantil.

O governo de São Paulo anunciou nesta sexta-feira (14) que prorrogou a campanha de vacinação contra a poliomelite até o final de junho. O público-alvo são as crianças de um a quatro anos.

Todas as Unidades Básicas de Saúde (UBS) do estado estão abertas desde 27 de maio para imunizar as crianças contra a paralisia infantil.

A poliomielite, doença infectocontagiosa aguda, é caracterizada pela contaminação pelo poliovírus que pode causar paralisia muscular dos membros inferiores, de forma assimétrica e irreversível. Em casos graves, pode levar e morte. A vacinação é a principal forma de prevenção.

Até quarta-feira (12), foram aplicadas 185.247 doses contra paralisia infantil em São Paulo. Segundo o Centro de Vigilância Epidemiológica, de janeiro a abril deste ano, foi registrada a cobertura vacinal de 76,8%.

Com a prorrogação da campanha, o objetivo é que a cobertura vacinal seja ampliada.

“A prorrogação é de extrema importância para incentivar que mais pais e responsáveis levem as crianças para se vacinar. Reforçando a imunização e seguindo o calendário vacinal, evitamos a reintrodução de doenças erradicadas no país, como a poliomielite”, afirma a Diretora do Centro de Vigilância Epidemiológica (CVE) da SES, Tatiana Lang.

 

Quais os sintomas da doença?

 

A maioria das pessoas infectadas não manifesta sintomas ou apresenta poucos sintomas, similares a outras doenças virais, como:

  • febre
  • mal-estar
  • dor de cabeça
  • dor de garganta e no corpo
  • ?sintomas gastrointestinais (náuseas e vômitos)
  • constipação (prisão de ventre)
  • espasmos
  • rigidez na nuca
  • meningite

 

Nas formas mais graves instala-se a flacidez muscular, que afeta, em regra, um dos membros inferiores.

Comentários