Assaltantes de Taboão tentam roubar caminhoneiro, são esfaqueados e matam vítima

Por Outro autor | 6/06/2024

Assaltantes de Taboão tentam roubar caminhoneiro são esfaqueados e matam vítima


Um caminhoneiro de 40 anos morreu após ser atraído pelo chamado golpe do falso frete, praticado por dois criminosos moradores de Taboão da Serra, na cidade de Nova Odessa. A vítima reagiu esfaqueando os criminosos, mas acabou sendo atingida e morta pelos assaltantes. Os suspeitos, segundo a polícia, têm idade entre 20 e 27 anos.

Os assaltantes foram levados ao Hospital Municipal, um deles se encontra em estado grave. O bandido mais velho possui antecedentes criminais por receptação e associação criminosa.

Eles estavam em um veículo HB20 branco, com placas e chassis adulterados, e abordaram a vítima quando ele estacionou o caminhão na para descarregar o trigo na empresa.

O crime ocorreu quando o motorista já havia sido colocado dentro do carro dos criminosos e estava sendo levado para um cativeiro. Aproveitando um momento de distração dos assaltantes, o caminhoneiro pegou uma faca que estava na cintura de um deles e golpeou os criminosos, que desceram do veículo e dispararam contra ele. Um dos disparos atingiu a pessoa que morreu no local.

Um dos suspeitos tentou se passar por vítima e procurou ajuda em uma base da Polícia Militar (PM), mas acabou sendo identificado e detido no hospital. Seu comparsa foi encontrado escondido debaixo de uma lona nas proximidades e confessou a participação no golpe do falso frete. Este é o primeiro latrocínio registrado em Nova Odessa este ano e o primeiro em quatro anos.

O motorista de caminhão transportava uma carga de trigo, que havia saído do Triângulo Mineiro e seria entregue em uma empresa localizada no Jardim Florida, em Nova Odessa. Conforme o capitão da PM, Edson da Costa Pereira, imagens da "Muralha Digital" mostram o caminhão entrando na cidade às 6h18. A PM foi acionada por volta das 7h.

 

O GOLPE

Criminosos têm aplicado o golpe do falso frete, no qual se passam por representantes de empresas interessadas em transportar cargas para determinados destinos. Eles marcam encontros com caminhoneiros para negociar a suposta carga, mas o verdadeiro alvo é o caminhão, que frequentemente é desmontado ou comercializado inteiro, sendo enviado para outros estados ou até para o Paraguai.
Durante a ação, os motoristas são mantidos reféns em cativeiros situados em áreas de mata, onde podem permanecer por horas ou até dias. Nesse período, os bandidos roubam celulares e dinheiro e, em alguns casos, realizam sequestros, exigindo resgates das famílias.

Comentários