Dengo anuncia nova fábrica de chocolate em Itapecerica da Serra

Por Outro autor | 15/05/2024

Complexo industrial e logístico da Dengo terá produção de até 24 toneladas de chocolate por dia, uma ampliação 500%. Apesar de alta do cacau, Estevan Sartoreli, co-CEO da Dengo, comenta salto esperado de 38 para mais de 240 lojas.

Apesar do cenário desafiador, com a alta do preço do cacau que bate 190% -- e chega a 12 mil dólares a tonelada --, a marca brasileira de chocolates Dengo anuncia nesta quarta-feira, 15, o investimento de 100 milhões em uma nova fábrica localizada em Itaquaciara, em Itapecerica da Serra, São Paulo.

Com previsão de inauguração em abril de 2025, o complexo industrial e logístico passará de 3.000 m² para 13.596 m², permitindo a produção de até 24 toneladas de chocolate por dia. O aumento representará um salto na produção, ampliando em até 500% em relação aos níveis anteriores.

O investimento permitirá a Dengo expandir sua rede de produtores de cacau registrados. A companhia trabalha com cerca de 300 produtores registrados, e com a nova fábrica, a expectativa é aumentar esse número para aproximadamente 3.000, dez vezes mais do que o atual.

Com um investimento de R$65 milhões só em equipamentos e acessórios para as linhas de produção até 2030, os investidores estão focados em adotar tecnologias ecoeficientes e práticas sustentáveis em todo o processo de fabricação, de acordo com Sartoreli.

"A fábrica está localizada no condomínio logístico GLP Régis, às margens da Rodovia Régis Bittencourt, empreendimento da GLP, líder global no desenvolvimento de galpões logísticos. A empresa está comprometida em diversas iniciativas de sustentabilidade por todas as etapas do negócio - desde a aquisição do terreno, concepção do projeto, construção, até as operações diárias - e trabalha constantemente, para inspirar todo o ecossistema logístico na conscientização a respeito do tema".

Para reduzir o consumo, a fábrica terá luminárias de alta eficiência, que permitem uma redução do consumo anual de energia de cerca de 60% e para mensuração exata de energia foram instalados medidores por telemetria. A cobertura também é composta de materiais translúcidos que permitem a entrada e distribuição da luz solar no interior do empreendimento, diminuindo a necessidade de iluminação artificial durante o dia.

Para economia de água foram instaladas louças e metais sanitários mais eficientes que resultarão na redução de até 20% do consumo. Além disso, a fábrica contempla um sistema de captação de água pluvial para reuso, abastecendo os sanitários e vestiários, o que resulta na redução de 60% no consumo de água potável.

A localização estratégica da fábrica, contribuirá significativamente para sua eficiência operacional e consequentemente reduzirá impactos ambientais. Com acesso fácil às principais vias de transporte, podendo reduzir os custos logísticos e minimizar o impacto ambiental das atividades de transporte. A proximidade com a cidade de São Paulo, um dos principais mercados consumidores do país, também facilitará a distribuição dos produtos de forma rápida e eficiente.

Comentários