Moradora de Taboão se frustra ao entrar no site do Banco Central e ter apenas R$0,30 para resgatar

Por Natália Bassi | 23/03/2022

Rose Floriano foi mais uma das brasileiras que ficou empolgada e ansiosa com o anúncio de que o Banco Central (BC) abriria um sistema para devolver valores esquecidos em agências bancárias. A moradora de Taboão da Serra, que afirmou “esperar receber ao menos R$600”, se frustrou ao abrir o site e se deparar com apenas R$0,30 para resgatar. O sentimento, segundo a mesma, foi de decepção.

A gente vai vivendo e aprendendo. Eu tive que assinar várias cláusulas para receber o dinheiro que até então eu não sabia o valor. Agora eu quero tentar acessar essa conta do governo novamente e ver se eu consigo reverter o que eu assinei. Eu não quero que eles tenham acesso as minhas contas bancárias. Tinha aquele contrato, que eu não li, eu não sei com o que eu concordei. Dá impressão que eles querem monitorar a vida da gente, o que nós movimentamos no banco. Eu me senti lesada pelo nosso governo. Isso é uma falcatrua. A experiência foi decepcionante. Eu estou revoltada”, contou à reportagem do Jornal Na Net.

De acordo com Rose, tudo começou em 15 de março, data em que foi liberada a primeira consulta. No entanto, nesse dia, ela acabou esquecendo de entrar no site por conta da correria do dia a dia. Apesar disso, no dia seguinte, ela se lembrou e foi verificar.

“Entrei no site e eles pediram para eu acessar novamente no dia 19. Nesse dia eu tinha uma festinha à noite, mas esperei chegar em casa para acessar. Fui consultar na maior expectativa, achando que eu tinha um dinheiro bom por causa do tempo. Não esperava ter milhões, mas achava que teria uns R$600”, disse.

A moradora de Taboão da Serra, que afirmou sentir “uma grande expectativa”, se frustrou primeiramente com a grande burocracia até chegar na página onde constava o valor a ser recebido.

“Quando entrei, eles redirecionam você para outro site do governo. Nessa página, eles falam que você precisa ter uma conta ouro ou uma conta prata. Eu só tinha uma bendita de uma conta bronze que eu nunca usei e eu nem sabia que tinha. Até aí tudo bem. Eu estava lá super ansiosa querendo ver logo o valor. Aí fui fazer a conta prata e eu precisei me cadastrar. Eles te dão a opção de fazer o cadastro pelo título de eleitor ou pela conta bancária. Eu tentei fazer pelo título e não consegui. E o meu horário limite já estava passando. E eu com medo de perder o prazo novamente. Ai tentei acessar pelo banco Santander, só que eu não imaginei que seria pior ainda. Quando você vai para o site você precisa colocar senha do banco. Uma senha que é cadastrada pra você entrar no banco. Eu já fiquei meio cabreira com isso. Mas eu queria saber o valor que eu tinha pra receber. Só que depois que você cadastra tudo do banco, ele te redireciona para outro site do governo e você precisa colocar os seus dados pessoais. Isso já era 23h20 e eu já preocupada com o prazo que ia acabar”, falou.

Depois de todo o processo que durou um tempo considerável e deixou Rose ainda mais ansiosa, a maior das decepções veio. Ela tinha apenas R$0,30 para receber.

“Depois de toda essa burocracia, ainda tem uma parte que você precisar concordar com várias cláusulas. Não sei nem quantas folhas tinha. Era impossível ler pelo meu celular. Eu confesso que não li, porque meu tempo estava esgotando e eu queria ver logo o valor que eu tinha para receber. No final, tem uma parte que você precisa concordar e eu cliquei ali. Aí eles te mandam pra página onde tem o valor. Mas isso fica carregando e demora muito. Na hora que eu vi que eu tinha só R$0,30, eu achei uma palhaçada. Uma sensação de impotência. Você fica em uma expectativa e ansiedade imensas, achando que você tem um valor considerável para receber. Não é um valor que você vai ficar rico, mas pelo menos uns R$100. Aí você abre e tem R$0,30? Eu fiquei revoltada. Isso é ridículo. A gente não tem valores esquecidos no banco. Com R$0,30 não dá para comprar nem uma bala”, relatou.

Comentários