Sabesp constrói estação elevatória de esgoto na rua Taboão da Serra

Por Natália Bassi | 11/03/2022

A Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) está construindo na rua Taboão da Serra, no Jardim Maria Rosa, a primeira estação elevatória de esgoto de toda a cidade. De acordo com a companhia, em resposta a reportagem do Jornal Na Net, a obra faz parte do Programa de Despoluição do Rio Pinheiros. No último dia 25, o prefeito José Aprígio (Podemos) e o vereador Dr. Ronaldo Onishi (DC), que foram os responsáveis por levar ao conhecimento da Sabesp a demanda da população que há anos sofre com a falta de regularização de esgoto na região, fiscalizaram as obras.

O vereador Dr. Ronaldo Onishi, que conversou diretamente com os moradores para encontrar uma solução para resolver o antigo problema, afirmou que as obras serão essenciais para acabar com o mau cheiro e outras consequências.

“Desde o ano passado venho acompanhando essa solicitação que, inclusive, foi um pedido do meu mandato. A população daquela região sofre com os impactos que a falta de regularização de esgoto traz. Eu tenho certeza que quando essa obra acabar todos os problemas que um dia eles viveram, se tornarão passado”, falou.

De acordo ainda com o parlamentar, a resposta da prefeitura foi extremamente rápida para a solicitação que foi levada até a Sabesp.

“Quando levei essa demanda ao prefeito Aprígio e ao secretário de Obras, Valdemar Aprigio, rapidamente eles foram ao local também vistoriar. Em seguida, entraram em contato com a Sabesp, que enviou os seus técnicos para averiguação. Em um curto espaço de tempo foi constatado que a obra era realmente necessária”, disse.

Segundo a Sabesp, a obra na rua Taboão da Serra, além de regularizar o esgoto, também é mais uma de complementação e adequação das redes coletoras para despoluição dos córregos que cortam o município, como é o caso do Poá, Joaquim Cachoeira e Ponte Alta.

Além dos benefícios para os moradores da região e também de toda a cidade, já que isso impactará diretamente na despoluição dos rios, a obra será feita de maneira sustentável.

“A obra não está agredindo a natureza. A Sabesp, desde a primeira reunião que fizemos, afirmou que a construção da estação seria feita de maneira sustentável e isso realmente está acontecendo”, salientou Onishi.

Questionada pela reportagem, a Sabesp afirmou que ainda não é possível saber quando as obras irão acabar.

Comentários