Vereadores de Taboão protocolam voto de repúdio contra o deputado estadual Arthur do Val por frases sexistas

Por Natália Bassi | 8/03/2022

Os vereadores de Taboão da Serra protocolaram na sessão desta terça-feira, 08, na Câmara Municipal, nota de repúdio contra o deputado estadual Arthur do Val, conhecido como “Mamãe Falei”. O parlamentar recentemente teve áudios de sua autoria divulgados onde usa de termos apelativos e sexistas para se referir às mulheres ucranianas enquanto estava no país com o pretexto de enviar doações para refugiados ucranianos após a invasão da Rússia. O episódio causou revolta em todo o Brasil pelo desrespeito e violações dos direitos humanos em um momento onde o povo de uma nação inteira sofre com os efeitos da guerra.

O vereador Dr. André Egydio, que é do mesmo partido do deputado, o Podemos, defendeu a sua expulsão da sigla e também que o seu mandato seja cassado pela Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp).

“Em nome do Podemos junto com a Dona Luzia e extensiva a todos os vereadores, faremos um voto de repúdio ao deputado Mamãe Falei. Ele aproveitou uma situação de viagem a pretexto de uma ida humanitária para ver aos olhos dele o que um crápula mal encaminhado pudesse fazer e como as ucranianas foram ultrajadas. A gente pede além do voto de repúdio, mas fica a conta da Assembleia, a cassação desse senhor que é do meu partido”, disse o vereador.

O presidente da Câmara Municipal de Taboão da Serra, Carlinhos do Leme, também expressou o seu repúdio sobre a situação.

“É muito triste em um momento de tanta tristeza, em uma guerra, o indivíduo sair do nosso país e ir até o outro país em um momento de vulnerabilidade daquelas mulheres, das crianças. É inacreditável que alguém possa ter um pensamento desse. É muito triste. É como se a gente fosse invadido nesse momento, tivéssemos em guerra, deixar nossas mulheres, nossas filhas, nossas mães e vir um indivíduo de outro país com o propósito de nos ajudar e está ali na fila para depreciar as mulheres. É inacreditável”, falou.

Líder do Podemos na Câmara de Taboão, a vereadora Luzia Aprígio, externou que apesar de fazer parte do mesmo partido do deputado, o episódio não pode passar impune.

“Deixo o meu repúdio ao deputado Mamãe Falei. Foi um absurdo o que ele falou. Nós não temos nem palavras para falar sobre esse assunto. Foi uma coisa muito séria e muito grave”, frisou.

O vereador Dr. Ronaldo Onishi também foi um dos vereadores que usou a tribuna para lamentar os áudios misóginos do deputado em referência às mulheres ucranianas refugiadas.

“De forma sexista, misógina, discriminatória coloca a mulher em um papel deplorável, onde ele fala “as mulheres ucranianas são fáceis porque são pobres”. Mulheres essas que estão sofrendo, mulheres que estão abandonando seus maridos e seus filhos, mulheres que ficaram na Ucrânia lutando pelo seu país. E um parlamentar de maneira nenhuma pode desrespeitar a mulher da forma como ele fez […] Não podemos admitir. Fico imaginando a dor dessa mulher que deixa para trás seus familiares para lutar na guerra e não sabe se um dia vai poder reencontrá-los […] Total falta de respeito. Uma fala sexista que coloca a mulher em um papel desprezível. A sociedade brasileira não pode se calar”, falou.

A vereadora Joice Silva, que tem uma trajetória na luta contra a violência a mulher em Taboão da Serra, com leis aprovadas nesse sentido, afirmou a sua opinião.

“Um homem público que não tem respeito pelo próximo, que não tem respeito pelas mulheres, deve ser punido. Esse voto também é meu porque eu repúdio a ação desse homem que nem dá pra se chamar de homem. Um homem de verdade jamais falaria o que ele falou. Que ele deixe de ser representante da população porque um homem desse não nos representa”, falou.


Entenda o caso

Na sexta-feira, 04, um áudio atribuído ao deputado estadual Arthur do Val circulou nas redes sociais. Neles, o parlamentar, que viajou para a Ucrânia com o pretexto de enviar doações para refugiados ucranianos após a invasão da Rússia, utiliza frases sexistas e misóginas para se referir às mulheres que estão se refugiando do país.

“São fáceis, porque elas são pobres. E aqui minha carta do Instagram, cheia de inscritos, funciona demais. Não peguei ninguém, mas eu colei em duas ‘minas’, em dois grupos de ‘mina’. É inacreditável a facilidade. Essas 'minas' em São Paulo você dá bom dia e ela ia cuspir na sua cara e aqui são super simpáticas", diz um dos áudios.

O deputado também reforça em seus áudios que as filas de mulheres que tentam fugir dos horrores da guerra é mais bonita do que qualquer fila de espera de uma balada no Brasil.

“Acabei de cruzar a fronteira a pé aqui, da Ucrânia com a Eslováquia. Eu juro, nunca na minha vida vi nada parecido em termos de ‘mina’ bonita. A fila das refugiadas, irmão. Imagina uma fila de sei lá, de 200 metros ou mais, só deusa. Sem noção, inacreditável, é um bagulho fora de série. Se pegar a fila da melhor balada do Brasil, na melhor época do ano, não chega aos pés da fila de refugiados aqui”, falou.

Diante da situação que causou indignação em todo o país, o deputado, que era pré-candidato ao governo de São Paulo, retirou a sua candidatura e afirmou que teve uma postura errada.

“Os áudios que vazaram de uma conversa privada com amigos são lamentáveis. Não são corretos com as mulheres brasileiras, ucranianas ou com todas as pessoas que depositam confiança em meu trabalho e, por isso, peço desculpas. Não tenho compromisso com o erro. Por isso, entrei em contato com a presidente do Podemos, Renata Abreu, para retirar minha pré-candidatura ao governo de São Paulo", afirmou.

Comentários