Prefeito Aprígio afirma que há projeção para construção de uma UBS no Jardim Trianon

Por Natália Bassi | 22/02/2022

O prefeito de Taboão da Serra, José Aprígio (Podemos), afirmou em coletiva de imprensa que a Unidade Básica de Saúde (UBS) do Jardim Trianon, um antigo sonho da população, pode ainda se tornar realidade. No último sábado (19), o prédio onde seria inicialmente inaugurada a UBS do bairro, acabou virando o novo Pronto Socorro Infantil (PSI) Zilda Arns Neumann, que antes funcionava no Jardim Santo Onofre. De acordo com Aprígio, a mudança se fez necessário por conta das instalações do antigo PSI que estavam precárias e não atendiam às necessidades das crianças que iam até o local. Com o novo anúncio do chefe do Executivo taboanense, as esperanças da população do Trianon podem ser retomadas.

“Na hora que a gente tiver recurso e nós já estamos procurando um lugar, nós vamos construir uma nova UBS naquela região. No momento não tinha como colocar o PSI em outro lugar. Além do prédio de antes ser muito antigo, muito ultrapassado, ele estava também muito desconfortável para as nossas crianças que iam para lá. Ficavam 05, 10 crianças, ou até mais, dentro de uma sala e todos eram atendidos ao mesmo tempo. Hoje não. Hoje nós temos 15 leitos lá (novo PSI) onde a criança vai ser atendida de forma individual. Sua mãe vai ficar lá dentro acompanhando. Nós precisamos pensar no ser humano. Não dava pra deixar as crianças sendo mal atendidas como estava lá”, refrisou Aprigio.

Em relação ao antigo prédio do Pronto Socorro Infantil, localizado no Jardim Santo Onofre, o prefeito afirmou que há um estudo para que haja transferência do Centro de Referência da Mulher ou da Delegacia da Mulher para o endereço.

“O que a gente pretende fazer onde é o antigo prédio do PSI é oCentro de Especialidades da Mulher ou nós vamos levar para lá a Delegacia da Mulher. A gente percebe que tem muitas mulheres sofrendo por falta de um bom atendimento. Ainda tem homem que bate na mulher, a mulher vai pra lá (delegacia), ele vai atrás da mulher e quando a mulher chega em casa, ele bate de novo. Estamos pensando em fazer várias salas, onde eram as salas de descanso dos médicos, que são tipos suítes. Nós vamos fazer, talvez se for a Delegacia da Mulher, isso. Quando a mulher chegar lá e perceber que é perigoso voltar para casa, porque o cara pode bater nela, porque ainda está nervoso, a delegada pode determinar que ela fique lá até o pilantra que está em casa querendo bater nela se acalmar. Então, estamos pensando em um desses equipamentos”, salientou.

Comentários