Covid-19 deixa de ser a principal causa de morte em SP; cenário se deve ao avanço da vacinação

Por Natália Bassi | 17/12/2021

O Estado de São Paulo, que já teve indicadores alarmantes de infecções e mortes em razão do coronavírus, vem percebendo uma queda abrupta de novos casos e óbitos por conta da doença. De acordo com o governador, João Dória (PSDB), a covid-19 já não é mais a principal causadora de mortes no território paulista. Os óbitos provocados por doenças do aparelho circulatório e de todos os tipos de câncer somados já são maiores. Os dados são fruto de análise inédita da Secretaria de Estado da Saúde e refletem os resultados do avanço do plano de vacinação no estado.

Em novembro deste ano, a covid-19 foi responsável por 12% dos óbitos em todo o estado. Já as doenças cardíacas e as neoplasias (câncer) responderam por 27,5% e 16,2% do total de óbitos no mês, respectivamente.

No pico da segunda onda da pandemia, o cenário era inverso. Em abril, quando houve recorde de vítimas fatais por conta do coronavírus, com 21.539 óbitos, a proporção da doença entre as mortes em geral era de 46%. Naquele mês, o número de mortes por coronavírus foi três vezes maior que o de mortes por doenças do aparelho circulatório e quatro vezes superior ao total de vítimas de câncer de todos os tipos.

Ainda em abril, a covid-19 provocou 54 vezes mais mortes que os acidentes de trânsito e 94 vezes mais mortes do que os homicídios dolosos. Isoladamente, está à frente das doenças infecciosas e parasitárias, também responsáveis por cerca de metade dos óbitos de abril – ela matou 41 vezes mais que a tuberculose, por exemplo, que integra esse grupo de doenças.

*com informações do Governo do Estado de São Paulo

Comentários