Pela primeira vez na história OAB São Paulo será presidida por uma mulher

Por Natália Bassi | 26/11/2021

Pela primeira vez na história, a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) de São Paulo será presidida por uma mulher. A advogada criminalista e professora Patrícia Vanzolini será responsável pela presidência da maior seccional do país durante os próximos três anos.

A disputa com o advogado Caio Augusto Silva dos Santos, que concorria à reeleição, e a advogada Dora Cavalcanti foi extremamente acirrada. Patrícia obteve 64.207 dos votos válidos, o que corresponde a 35%. Em segundo lugar, ficou Caio com 58.821 votos, equivalente a 32,79%. Em terceiro, apareceu Dora Cavalcanti, com 18.351 votos, cerca de 10,23%. Em São Paulo, cinco chapas disputaram a presidência.

“Mais do que representar a primeira mulher no comando da maior seccional do país, reconheço o peso da responsabilidade que é reconstruir a OAB com meu compromisso de atuar na defesa intransigente das prerrogativas de todos os advogados e da valorização da profissão, do primeiro ao último dia de meu mandato. O momento é de união e responsabilidade, com o compromisso de atuar para todos os advogados, independentemente da chapa que eles defenderam neste pleito", disse Patrícia em nota publicada em suas redes sociais.

Com graduação, mestrado e doutorado em Direito pela pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), Patrícia tem um extenso currículo. A advogada, que já foi vice-presidente da Associação dos Advogados Criminalistas de São Paulo (ABRACRIM-SP), leciona na Universidade Presbiteriana Mackenzie e no cursinho preparatório para o exame da Ordem, Damásio Educacional. Além disso, é autora obras como "Manual de Direito Penal" e “Teoria da Pena: Sacrifício, Vingança e Direito Penal”.

Além de Patrícia Vanzolini, a chapa vencedora “Muda OAB-SP” elegeu também o vice-presidente Leonardo Sica, a secretária-geral, Daniela Marchi Guimarães, a secretária adjunta, Dione Almeida Santos, e o tesoureiro, Alexandre Sá Domingues.

Comentários