Segundo IPCA, desde o início da pandemia, alimentos subiram 21,4%

Por Natália Bassi | 9/11/2021

Não é novidade que os brasileiros vêm sofrendo grande impacto em suas economias nos últimos tempos. A ida ao supermercado tem se tornado cada vez mais difícil com a alta constante dos alimentos básicos de sobrevivência. Em balanço divulgado pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), a alta no preço dos alimentos foi de 12,54% no acumulado de 12 meses e de 21,39% desde o início da pandemia.

O aumento, conforme o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) aponta, é mais prejudicial entre as pessoas que ganham de 1 a 5 salários mínimos. Neste caso, 23,84% do rendimento familiar mensal é gasto na alimentação.

Os principais alimentos que sofreram alta são os que fazem parte da dieta básica da maior parte dos brasileiros. Desde que começou a pandemia os maiores aumentos foram do arroz (50,71%), açúcar cristal (46,73%), carnes (38,71%) e frango (36,46%).

Na mesma linha, a população também sofre para pagar comprar o botijão de gás e pagar a conta de luz. Eles tiveram alta acumulada de 38,34% e 38% respectivamente.

Comentários