Embu das Artes corre riscos de ter sua memória histórica apagada; profissionais do turismo se posicionam

Por Natália Bassi | 14/10/2021

O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) que é ligado à Secretaria Especial da Cultura e ao Ministério do Turismo abriu consulta pública para definir quais serão os critérios daqui para frente em relação aos bens tombados de Embu das Artes. A medida faz parte de uma portaria que será expedida pelo Governo Federal nos próximos 30 dias que tem como principal intuito decidir como ocorrerão as intervenções. A consulta, que fica disponível apenas até sexta-feira (15), pode colocar em risco a história cultural da cidade. Dependendo do resultado, o município pode perder uma grande parte da sua memória histórica, já que a proteção dos prédios tombados pode diminuir. Diante desse cenário que traz preocupação, profissionais da área de turismo pedem que a consulta popular seja adiada para que a sociedade civil e entidades tenham tempo hábil para participarem.

Caso haja alteração nas medidas de preservação dos bens tombados de Embu das Artes, diversas pessoas que fazem o dia a dia acontecer na cidade serão prejudicadas. Moradores, expositores, comerciantes e instituições ligadas a atividades turísticas no Centro Histórico estão englobadas neste grupo.

Entre as mudanças que o governo federal pretende adotar estão a remoção de canteiros, mudanças dos alpendres (beiras acima das portas) e toldos, além da exclusão do Largo 21 e seus elementos. O projeto só não impactaria o Museu de Arte Sacra, o seu entorno e a Pastoral que já são tombados materialmente.Para participar da consulta pública é necessário acessar o formulário (https://forms.gle/Cn6TWRZtChRYXf4G6).

Além disso, a minuta, com todos os detalhes da nova portaria, pode ser vista em https://tinyurl.com/yeshay5b.

Comentários