Em retomada de sessão presencial, vereadores de Taboão cobram melhorias dos serviços prestados pela ENEL

Por Natália Bassi | 14/09/2021

A Câmara Municipal de Taboão da Serra retomou as sessões presenciais nesta terça-feira (14) com readequação do plenário e limitação de 30% do público. Com 12 vereadores presentes, já que Wanderley Bressan (PSDB) assumirá a cadeira de Marcos Paulo (PSDB) na quarta-feira (15), os parlamentares cobraram ações da ENEL. Além disso, houveram também duras críticas em relação à política econômica adotada pelo Governo Federal.

Em um discurso forte, o vereador Ronaldo Onishi (DC) usou a tribuna para questionar a situação econômica do país e o sofrimento da população com a alta nos preços dos alimentos, do gás de cozinha e da energia.

“A nossa energia é uma das mais caras do mundo. A população não aguenta mais os preços abusivos da conta da energia elétrica. Conta essa que sobe a cada mês. É só você comparar o quanto você pagava o ano passado e o quanto está pagando hoje. Você vai ver um aumento discrepante e o consumidor fica refém dessa situação”, falou Onishi.

O vereador também completou o seu discurso criticando o cenário brasileiro. “Tudo isso se deve a uma política do governo federal que libera as concessionárias, que elas cobram os valores que estão cobrando. Tudo com a permissão de uma política pública nacional que é em desfavor do nosso povo que sofre e paga a conta. Assim nós vemos na energia elétrica, no preço do botijão de gás. O botijão está mais de R$100 para uma família onde o salário mínimo é em torno de R$1.200. O brasileiro não aguenta mais pagar o valor que está pagando em produtos de primeira necessidade”.

O vereador Anderson Nóbrega também criticou a ENEL ao enfatizar que pessoas começaram a pagar o dobro do que pagavam anteriormente em contas de energia elétrica. “A ENEL continua na cidade fazendo cobranças abusivas. Pessoas que pagavam R$65, estão pagando R$300 nos bairros de periferias, que todos nós conhecemos o sofrimento das pessoas. Elas estão tendo a luz cortada. Ele (João Dória) romperia a concessão caso tivesse cobrança abusiva. O problema é que a ENEL não parou. O Procon já multou essa empresa em R$10 milhões. Nós vamos fazer um requerimento cobrando satisfação do governador”, disse o vereador Anderson Nóbrega (MDB)

Além de também criticar o serviço prestado pela concessionária, o vereador Enfermeiro Rodney (PSD) usou a tribuna para enfatizar que discorda da política neoliberal em vigor no país

“Paulo Guedes, vem aqui andar comigo. Faça uma política econômica a favor dos brasileiros, Bolsonaro também. Política nós vamos fazer o ano que vem de forma democrática. Vamos começar a trabalhar”, finalizou.

Comentários