Polícia Ambiental multa em R$430 mil quatro pessoas por extração irregular de palmito em Juquitiba

Por Natália Bassi | 30/06/2021

Durante operação em Juquitiba, uma equipe do 1º Batalhão de Polícia Ambiental (BPAmb) deteve quatro pessoas que foram flagradas com mais de 300 unidades de palmito juçara cortadas irregularmente de uma fazenda. Elas foram conduzidas à Delegacia de Juquitiba, onde foram indiciadas por furto qualificado e crime ambiental.

Em vistoria na Estrada Meia Légua, a Polícia Militar (PM) abordou um veículo Volkswagen/Parati que era ocupado por quatro pessoas. Durante inspeção, encontraram no porta-malas 362 palmitos juçara. Questionados de onde vinha o alimento, eles acabaram confessando que pegaram de uma fazenda na região e que a extração tinha ocorrido de maneira irregular.

Além de serem encaminhados à Delegacia, os mesmos receberam Autos de Infrações Ambientais (AIAs) e terão que pagar mais de R$ 430 mil em multas.

A extração irregular do palmito juçara

A extração do palmito juçara é considerada ilegal e é uma das maiores ameaças da Mata Atlântica. Quando a palmeira que dá o fruto é cortada, ela não se regenera. A cada palmito desse tipo consumido, uma árvore de 10 metros é derrubada.

Além disso, a palmeira leva cerca de 7 anos para começar a produzir o palmito que é responsável pela alimentação de mais de 60 espécies de animais. Quando a árvore é extraída, muitas dessas aves e mamíferos param de fazer a dispersão das sementes do fruto, que é responsável pela regeneração natural de outras plantas da floresta. Esse fato acarreta no desequilíbrio da flora de toda a região.

Comentários