Instituto Butantan paralisará a fabricação da vacina Coronavac por falta de insumos

Por Natália Bassi | 13/05/2021

O Instituto Butantan, responsável pela produção da vacina Coronavac, anunciou que a partir de amanhã, 14, paralisará a fabricação do imunizante por falta de insumos. A possibilidade disso acontecer já vinha sendo discutida após o governo da China travar a liberação da exportação do IFA (Ingrediente Farmacêutico Ativo) que é essencial para a produção do imunizante. Segundo o Instituto, questões diplomáticas entre o Brasil e o país podem ter relação com a dificuldade de negociação dos novos lotes de insumo.

O Butantan revelou que não há problemas com o laboratório Sinovac, responsável pelo desenvolvimento da vacina. O grande empecilho, infelizmente, é de cunho político. Os insumos travados no país ocidental dariam para produzir, pelo que calcula o Governo do Estado de São Paulo, aproximadamente 18 milhões de doses, sendo possível, portanto, vacinar 9 milhões de brasileiros.

A data de autorização para exportação por parte do governo chinês é uma grande incógnita, colocando em risco o cronograma de vacinação que é seguido em diversos estados e municípios do Brasil. Segundo o diretor do Instituto, Dimas Covas, que se reuniu com representantes da farmacêutica Sinovac Biotech e com representantes da embaixada brasileira em Pequim na manhã de ontem, 12, nenhuma previsão foi estabelecida.

“Até o final da semana passada, existia a perspectiva de autorização da exportação até o dia 13 e na reunião diária do dia de hoje (quarta-feira, 13) foi dito que essa previsão não vai se cumprir. Portanto, nós não temos data nesse momento prevista para essa autorização. Estamos aguardando, ela pode acontecer a qualquer momento mas, neste momento, não há essa previsão”, disse.

No meio de instabilidades políticas, o governador João Dória (PSDB) usou o seu twitter para atribuir a culpa ao presidente Jair Messias Bolsonaro (sem partido) e aos seus apoiadores que fizeram, recentemente, segundo ele, declarações desastrosas em relação a China. Além disso, o governador também afirmou tentar uma negociação com o embaixador do país no Brasil, Wanming Yang.

“É o país que mais está ajudando a salvar a vida dos brasileiros, já que tanto a Coronavac, como a AstraZeneca dependem de insumos produzidos na China. O Governo Federal deve um pedido de desculpas ao governo chinês pelo desrespeito ao país que está ajudando o Brasil a vencer a pandemia”, disse.

Já o Governo Federal se limita a afirmar que isso nada tem a ver com questões diplomáticas, mas sim, com a alta demanda de insumos que a China fabrica. No entanto, foge da explicação o porquê demais países que fizeram as compras, estão recebendo normalmente os lotes.

Comentários