Membros da CEI de Taboão escolhem relator e querem ouvir ex-secretário da Fazenda

Por Natália Bassi | 6/05/2021

Durante primeira sessão da Comissão Especial de Inquérito (CEI) na Câmara Municipal de Taboão da Serra que investigará o uso de recursos públicos empregados no combate à covid-19 no ano de 2020, foi apresentado o plano de trabalho que será seguido pelos cinco membros durante os próximos 120 dias, o nome do relator e também quais serão as primeiras pessoas convidadas a participarem da próxima sessão que acontecerá na quarta-feira, 12 de maio, para prestar esclarecimentos.

Os quatro membros presentes, os vereadores André Egydio, Anderson Nóbrega, Enfermeiro Rodney e Celso Gallo escolheram, por unanimidade, o vereador Anderson Nóbrega para ser relator da CEI. A vereadora Érica Franquini, que também faz parte da comissão, não participou da sessão por conta de problemas de saúde.

O vereador Anderson Nóbrega será responsável pela análise profunda dos documentos e também dos depoimentos sobre o tema, além de trazer o máximo possível de dados para todos os membros da comissão discutirem o parecer final da CEI.

“Nós estamos aqui para verificar o que aconteceu no governo passado. Muitos documentos foram dados desde que a legislatura passada aprovou uma lei onde o governo municipal é obrigado a relatar todos os gastos referente à covid-19. Mesmo assim, gostaríamos de confrontar algumas notas fiscais. As dúvidas serão esclarecidas nessa CEI”, disse o presidente da comissão, vereador André Egydio.

O plano de trabalho da CEI investigará inicialmente a prestação de contas da empresa responsável pelo hospital de campanha no ano passado e o uso das verbas no combate à covid-19. Esse será o ponto de partida da investigação, que poderá receber novas diretrizes conforme os estudos, perícias, documentos oficiais e depoimentos reunidos.

Outros pontos que serão investigados serão as medidas de restrições implementadas pela gestão passada, testes realizados, uso de respiradores, qualidade dos leitos, distribuição de equipamentos de proteção para profissionais de saúde, estratégia de comunicação institucional das ações realizadas pelo município no combate à covid-19, aquisição de kits para intubação, aquisição de remédios sem eficácia comprovada, uso dos repasses federais, além das ações de preservação de empregos.

“Nos temos 120 dias para fazer essa apuração e no final serão apresentados relatórios da comissão para elucidação dos fatos. É função do vereador e é função da comissão estar sempre de olho em qualquer administração, na passada, na atual, para ver onde foi o recurso e para que ele foi usado”, disse o relator Anderson Nóbrega.

O relatório apresentado foi assinado por todos os membros da CEI, que concordaram com as diretrizes estabelecidas para dar início a comissão.

“Essa CEI é baseada no que vem sendo feito no Senado Federal. Eles já começaram, já tiveram duas audiências. É verificação da utilidade do recurso federal que foi disponibilizado para nossa cidade. A Câmara Municipal de Taboão com muita sapiência e inteligência vai fazer um bom trabalho”, disse o vereador Enfermeiro Rodney.

Em consenso, a comissão escolheu o ex-secretário da Fazenda de Taboão da Serra, Adelço Buhrer, para ser o primeiro convidado para participar da segunda audiência da CEI, que acontecerá na próxima quarta-feira, 12 de maio, às 15h. O relator também solicitou à prefeitura, documentos que abordem o valor do contrato da empresa que administrou o hospital de campanha e como ele foi formulado, além dos serviços onde os recursos vindos do governo federal foram empregados.

Comentários