Taboão da Serra ultrapassa as 600 mortes em decorrência do coronavírus

Por Natália Bassi | 29/04/2021

Após o resultado de 6 testes de pacientes que faleceram entre os dias 15 e 22 de abril ficar pronto e dar positivo para coronavírus, Taboão da Serra chegou a triste marca de 601 mortes. Entre as vítimas, estão quatro homens e duas mulheres. Os homens tinham 36, 42, 56 e 70 anos. Já as mulheres, 67 e 74 anos. Somente a senhora de 74 anos estava internada na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Akira Tada, as demais pessoas recebiam cuidados em outros hospitais do estado.

Segundo o boletim epidemiológico, a UPA Akira Tada não registrou nenhuma morte na noite de quarta-feira, 28, e segue com 61% de ocupação de seus leitos. Ao todo, são 43 pacientes internados. Desse número, 33 estão na ala de enfermaria e 10 na emergência. Dos que apresentam casos de maior gravidade, dois seguem intubados.

Um sopro de esperança também invadiu o coração de quatro pessoas que estavam internadas e conseguiram se curar da doença. As quatro receberam alta e puderam deixar a UPA.

O Comitê de Combate à Covid-19 informou ainda que na quarta-feira mais uma transferência para Unidade de Terapia Intensiva (UTI) via Central de Regulação de Ofertas de Serviços de Saúde (Cross) foi realizada. Dessa forma, até o fechamento total do boletim, três solicitações de pacientes ainda aguardam resposta.
[08:33, 4/29/2021] Natália Bassi: Vacina Butanvac começa a ser produzida pelo Instituto Butantan


A vacina produzida integralmente pelo Instituto Butantan, a Butanvac, começou a ser fabricada nessa semana. Apesar da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) ainda não ter liberado os testes em humanos, por falta de documentos, as doses começaram a ser feitas na manhã de quarta-feira, 28.

Segundo o governador do Estado de São Paulo, João Dória, que deu a notícia durante coletiva de imprensa, 1 milhão de doses já tinham sido fabricadas pelos profissionais do Instituto na quarta. A expectativa é que 18 milhões de vacinas sejam entregues ainda na primeira quinzena de julho, o mesmo período em que a ANVISA terá para finalizar a análise do imunizante e dar parecer sobre o seu uso emerge…

Comentários