Pela primeira vez, as UTI’s têm maior ocupação de pessoas jovens

Por Natália Bassi | 19/04/2021

Diferente da primeira onda de contaminação do coronavírus, em que os idosos eram as principais vítimas da doença, a segunda onda tem apresentado um cenário diferente. A maior parte das pessoas internadas em Unidades de Terapia Intensiva (UTI) do Estado de São Paulo possuem entre 20 e 54 anos.

Um dos principais motivos para esse quadro é a nova variante, que comprovadamente é mais infecciosa. Além disso, com a vacinação na faixa etária acima dos 60 anos, as pessoas mais velhas que se vacinam estão criando maior imunidade.

Outro ponto é a procura por atendimento tardio. A maioria dos jovens tendem a ir aos hospitais somente quando os sintomas estão mais graves e ignoram a recomendação de procurar unidades hospitalares ainda no estágio inicial. Essa prática faz com que muitos, quando atendidos, já precisem ser internados em UTI pela gravidade do caso e entubados poucas horas após.

Para se ter uma ideia, na primeira onda, 80% dos pacientes internados em leitos de UTI, segundo o Governo do Estado, eram idosos ou portadores de doenças crônicas. No entanto, agora, 60% das vagas são ocupadas por pessoas de 30 a 50 anos que não apresentam qualquer tipo de comorbidade. A Associação de Medicina Intensiva Brasileira (Amib) apontou um aumento de 17% nas internações em leitos de alta complexidade de pacientes com menos de 40 anos em 2021.

Diante desse quadro, especialistas da área de saúde alertam para a importância de buscar atendimento logo nos primeiros dias de sintomas. O tratamento não significa tomar remédios sem orientação médica e sem comprovação, mas sim ser examinado através de consultas e realização de exames com profissionais. Cada minuto e hora são essenciais para evitar que a doença se alastre e piore a saúde do paciente.

Outra orientação é não achar que, por ser jovem, a doença não apresenta riscos. O novo quadro de internações demonstra que ninguém está livre de pegar coronavírus e desenvolver casos graves. Por esse motivo, o distanciamento social e o uso de máscaras devem ser integralmente respeitados.

Em todo o Brasil, 80% dos pacientes que deram entrada em UTI’s e precisaram ser entubados, não resistiram e vieram a óbito. Entre as vítimas, estão pessoas de todas as faixas etárias, demonstrando que o vírus não faz distinção de idade, gênero ou cor.

Comentários