Com piora da pandemia, bancos de sangue sofrem com o baixo estoque de bolsas

Por Natália Bassi | 8/04/2021

Com o agravamento da pandemia, os hemocentros do Estado de São Paulo estão sendo amplamente afetados pela diminuição de doações e vivem a pior situação já registrada desde o início desse período. Estima-se, que a queda fique entre 40% e 60% dependendo da região. O preocupante é que o que já é tido como grave, pode piorar ainda mais nos próximos dias.

Apesar das doações terem caído drasticamente, o uso do sangue não parou. As bolsas que antes eram utilizadas em pacientes com quadros graves, agora também são requisitadas para o tratamento de pessoas internadas com coronavírus, que dependendo da gravidade do caso, também necessitam.

Os hemocentros pedem que as pessoas doem sangue e ajudem a reverter esse cenário preocupante. Os locais estão atendendo todos os protocolos de higienização e distanciamento e funcionam todos os dias da semana.

Para a situação começar a ser controlada é necessária a doação de 160 bolsas por dia para o serviço não entrar em colapso e piorar ainda mais o panorama de mortes por coronavírus.

Para doar sangue é necessário ter entre 16 e 69 anos (menores de idade precisam ter autorização dos pais), estar em boas condições de saúde, pesar no mínimo 50 kg, não usar bebida alcoólica 12 horas antes da doação, não ingerir alimentos gordurosos, não ser portador de doenças sexualmente transmissíveis e não fazer uso de insulina. Pessoas que tiverem passado por exame de endoscopia há 6 meses também não podem, bem como quem tenha feito tatuagem ou piercing nos últimos 12 meses.

Comentários