11 pessoas morreram de Covid esperando transferência para UTI em Taboão da Serra

Por Sandra Pereira | 9/03/2021

Onze pacientes morreram na UPA Akira Tada, em Taboão da Serra desde o final de semana até essa segunda-feira, dia 8. Todos estavam internados com Covid-19 e aguardavam transferência para Unidade de Terapia Intensiva (UTI). As mortes começaram na sexta-feira, 5, quando dois homens e duas mulheres perderam a vida enquanto esperavam transferência. Desde a última semana a UPA trabalhava com leitos acima da sua capacidade. Até a noite desta segunda a cidade tinha 17 pacientes na fila de espera para transferência em vaga na UTI.

Até o momento não há previsão de normalização das transferências, já que o sistema de saúde está sobrecarregado.

A prefeitura de Taboão da Serra esclarece que devido ao colapso na Central de Regulação e Ofertas de Serviços de Saúde CROSS, desde o dia 3 de março todas as solicitações de transferência estão sendo negadas. No momento estamos com 17 solicitações inseridas no sistema, mas infelizmente nos últimos dias 11 pacientes vieram a óbito aguardando transferências.

A cidade não dispõe de leitos de UTI, apenas leitos de suporte ventilatório e enfermaria. Para atender a crescente demanda por internações em decorrência da COVID-19, a prefeitura de Taboão da Serra criará, até o final de semana, mais 30 leitos de enfermaria, o que aumentará a capacidade de atendimento em 75%, totalizando 70 leitos exclusivos para COVID-19.

Perfil dos últimos óbitos

A Prefeitura de Taboão da Serra esclarece que os dados enviados e divulgados no Boletim são computados apenas após a liberação do resultado do exame de RT – PCR, que comprova o óbito por Covid-19, por isso, as mortes recentes só serão incluídas no boletim após a chegada do resultado.

Segue abaixo data e descrição de idade e sexo dos últimos óbitos:

05/03 – 02 mulheres de 76 e 73 anos / 02 homens de 75 e 58 anos
06/03 – 02 mulheres de 95 e 74 anos / 01 homem de 46 anos
07/03 – 01 Homem de 52 anos
08/03 – 01 homem de 62 anos

As vítimas começaram a morrer à espera de UTI na sexta-feira:

Na sexta-feira (5) morreram uma mulher de 76, outra de 73 anos, um homem de 75 anos e um homem de 58
No sábado (6) uma mulher de 95, outra de 74 e um homem de 46 anos
No domingo (7) um homem de 52 anos
Nesta segunda (8) um homem de 72 anos

A falta de vagas de UTI agravou ainda mais a situação da pandemia na cidade. É preciso que cada um tenha consciência, se proteja e proteja sua família. Por outro lado, a situação também torna necessário ampliação da fiscalização para conter as aglomerações clandestinas.

 

 

Comentários