Taboão vai abrir mais 30 leitos de Covid; UBS Clementino vai ser Pronto Atendimento da doença

Por Sandra Pereira | 4/03/2021

O prefeito de Taboão da Serra, José Aprígio, anunciou nesta quinta-feira, 4, que vai abrir mais 30 leitos para o atendimento dos casos de Covid-19, sem nenhum custo adicional em infraestrutura. Para criar os novos leitos o governo pretende transformar a Unidade Básica de Saúde (UBS) do Clementino em um Pronto Atendimento para os casos de Covid-19, com seis leitos de observação. Também estão sendo previstos mais 14 leitos na UPA e outros 10 leitos no Antena, numa ala específica que a SPDM se comprometeu em criar. Os pacientes atendidos na UBS Clementino vão ser encaminhados para as UBSs Suiná e Oliveiras. As duas unidades vão funcionar até as 19 horas para conseguir absorver a demanda, caso seja necessário o atendimento poderá se estender até as 21 horas.

As medidas foram definidas pelo Comitê de Covid criado pela prefeitura para traçar as estratégias de prevenção, combate da doença, vacinação e controle epidemiológico.

Durante o encontro, o prefeito fez um apelo aos moradores e comerciantes para que entendam a gravidade da situação na cidade e no Brasil. Todos os presentes no anúncio das medidas admitiram que vivemos o pior momento da pandemia. Deixaram claro que a administração está fazendo sua parte, mas que sem a ajuda da população é impossível conseguir bons resultados.
"Não sabemos onde está a doença. De onde vem, pra onde vai, por isso temos que nos prevenir. Chegamos ao ponto de não ter mais leitos em Taboão. Não tem local para criar leitos a vontade. Precisamos da contribuição da população em geral. Precisamos preservar vidas e só preservamos com o isolamento. O momento é muito difícil. Levem a informação para que respeitem as leis. Sei que é difícil fechar o comércio. Mas esse aumento da pandemia é ruim. Precisamos da contribuição geral da população de Taboão", disse o prefeito em tom de apelo.

Aprígio disse aos jornalistas, vereadores, secretários e todos os presentes que determinou ao jurídico que faça estudo sobre a possibilidade de comprar vacinas para imunizar a maior quantidade possível de pessoas. Ele revelou que vai doar 4 meses do salário de prefeito para comprar vacinas e pediu que os empresários da cidade se mobilizem com a mesma finalidade.

"Não gosto de pedir, mas nesse momento quero pedir a todos que tiverem condições e puderem doar para comprar vacina", disse o prefeito.

O médido epidemiologista Dr. Milton Parron também alertou para a gravidade da pandemia neste momento. Ele defendeu as medidas anunciadas pelo governo como sendo as mais corretas para o momento atual da pandemia e garantiu que a descentralização dos leitos é a estrátegia mais adequada.

“Nós precisamos tomar algumas decisões difíceis, mas que se justificam. Nenhuma doença matou tanto quanto a Covid-19. Os dados mostram que as aglomerações nas festas de final de ano no carnaval pioraram muito a pandemia.Precisamos tomar as medidas anunciadas para enfrentar os piores dias que tivemos desde o início. Nosso objetivo é segurar o sistema pelos próximos 15, 30 dias até que a situação melhore um pouco. Nesse momento ultrapassamos todos os números do ano passado. Por isso a estratégia precisa ser diferente da anterior. Não tenho dúvida de que a criação de leitos da forma que estamos fazendo é a melhor opção", garantiu o médico com 22 anos de experiência em epidemiologia.

A secretária-adjunta de Saúde, Thamires May, garantiu que os 30 novos leitos não vão impactar as finanças do município de forma negativa, já que não haverá custos com infraestrutura. Ela garantiu que a estratégia montada vai ser capaz de atender a necessidade da população. Ela contou que há apenas quatro meses o pai morreu vítima de Covid-19 o que a fez firmar o compromisso de trabalhar para salvar vidas.

Participaram do evento o presidente da Câmara Carlinhos do Leme, os vereadores Ronaldo Onishi, Luzia Aprígio, Marcos Paulo, Sandro Ayres, Nezito, Gallo, Anderson Nóbrega, Enfermeiro Rodney, André Egydio e Érica Franquini.
Os membros do Comitê de Enfrentamento ao vírus, entre eles os secretários Mário de Freitas, de governo, Dirce Takano, Educação, Arnoldo Landiva, de Comunicação), a secretária-adjunta de Saúde, Thamires May, Dr. Milton Parron e a sescretária de adjunta de Comunicação, Renata Gomes.

 

 

 

Comentários