Bombeiros encerram busca por mortos na tragédia do jardim do Colégio

Por Redação | 31/12/2020

O Corpo de Bombeiros de São Paulo encontrou na noite desta quarta-feira (30) o corpo do bebê Ryan, de 8 meses, nos escombros do desmoronamento ocorrido Embu das Artes, na noite de terça-feira, 29. O bebezinho era a última vítima da tragédia no Embu que ainda estava desaparecido nos escombros. As buscas foram encerradas no local.

Seis pessoas da mesma família foram soterradas na rua Centauro, no Jardim do Colégio. A sétima vítima do temporal na cidade foi um homem arrastado pelas chuvas no Tereza.

Uma mãe e dois filhos, de 5 e 7 anos, e a avó das crianças morreram soterradas e foram as primeiras vítimas localizadas pelos bombeiros.

Outro filho da vítima, um bebê de 8 meses, teve o corpo encontrado na noite desta quarta-feira, logo depois da localização do corpo da avó. Outra criança da mesma família, de 1 ano, também morreu.

Duas casas desabaram em uma área de risco e os bombeiros foram acionados por volta das 21h40 na Rua Centauro, no Jardim Colégio, perto do Rodoanel. Mais de 40 bombeiros auxiliados por cães treinados trabalharam nas buscas de seis pessoas da mesma família. Cerca de 40 casas foram interditadas no local e segundo os bombeiros seis casas ainda correm o risco de desabar.

A quinta vítima do temporal no Embu é um homem que foi arrastado pela correnteza e tragado por um bueiro no bairro Santa Tereza. Ele chegou a ser resgatado e levado para um hospital da região, mas não resistiu aos ferimentos.

A sexta vítima encontrada pelos bombeiros nesta quarta-feira (30), é Zenaide Maria Gomes, 55 anos, mãe de Jaqueline. O corpo dela foi encontrado nos fundos dos escombros da casa dela.
Uma escola municipal da cidade será usada para abrigar os desabrigados que tiveram que sair das suas casas.

A região onde ocorreu o deslizamento em Embu das Artes foi identificada como de risco pelo Instituto Geológico. A Defesa Civil disse que alertou a prefeitura sobre as chuvas fortes para que as famílias fossem retiradas do local.

A Prefeitura de Embu das Artes informou em nota oficial que recebeu o relatório de risco no dia 9 de dezembro e que era impossível em 20 dias tomar todas as providências. A prefeitura disse ainda que já está trabalhando para criar um plano de ação que será implantado no primeiro semestre de 2021. A administração municipal afirmou ainda que lamenta a tragédia ocorrida e está prestando toda a assistência à população afetada pela chuva.

A tragédia no jardim Colégio marcou o final de 2020 no Embu. A cidade está de luto, consternada com a perda de toda uma família. 

 

*Com informações do G1

Comentários