Ex-funcionários da Minuano Pneus cobram esclarecimentos e alegam não terem recebido após empresa fechar

Por Redação | 14/08/2020

Após mais de 40 anos de atuação em Taboão da Serra, a Minuano Pneus encerrou as atividades na cidade, no entanto, deixou diversas insatisfações entre os ex-funcionários, que cobram clareza da companhia e alegam não terem recebidos os salários e os valores aos quais teriam direito após a empresa fechar as portas. 

Segundo informações obtidas pela reportagem, 17 pessoas foram mandadas embora no começo da pandemia. Outras 5 receberam férias e, após voltarem, tiveram seus contratos suspensos por 60 dias. Passado o prazo, não foram informados do que iria acontecer. 

Eles alegam que apenas alguns ex-funcionários conseguiram fazer o acerto com a empresa, mas outros não receberam os salários do último mês trabalhado e nem os valores rescisórios aos quais teriam direito. Indignados, eles também cobram clareza da empresa. 

“Muita gente que tem mais de 9 anos de empresa está sem resposta nenhuma, gente que trabalhou, que deu o suor, que precisava do emprego”, relatou uma ex-funcionária que não quis se identificar. Ela ainda disse que entrou em contato com o advogado que está respondendo pela Minuano, mas a resposta sempre é de que a empresa ainda não deu nenhum retorno. 

Outra ex-funcionária que também quis manter a identidade preservada conversou com a reportagem e se mostrou bastante decepcionada. “Infelizmente, a parte da empresa deixou a desejar. Não deram notícia do que vai acontecer, simplesmente tiraram as coisas de lá e está todo mundo na mão. Não sem nem se entrou com falência ou não porque ninguém fala nada”, disse. 

A reportagem tentou contato com o dono da empresa por aplicativo da mensagem, mas ele visualizou e não respondeu. O advogado da Minuano Pneus também foi procurado, mas informou que a empresa não quer se manifestar. 



Comentários