Com Pandemia, Taboão, Embu e Itapecerica perdem mais de 4,6 mil empregos no 1° semestre

Por Gabriela Pereira - Especial para o Jornal na Net | 29/07/2020

Com a crise provocada pela pandemia do novo coronavírus, Taboão da Serra, Embu das Artes e Itapecerica da Serra perderam mais de 4,6 mil empregos formais no 1° semestre de 2020, segundo apontou os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), ligado ao Ministério da Economia. 

No período, as três cidades juntas contrataram 22.456 pessoas, mas demitiram outras  27.082, o que gerou um saldo negativo de postos de trabalho com carteira assinada que foram fechados na região, deixando 4.626 pessoas desempregadas.

O pior mês foi abril, o primeiro da pandemia em que serviços não essencias ficaram totalmente fechados.  Juntas, as cidades perderam mais 2.739 postos de trabalho, quando 1.961 pessoas foram contratadas, no entanto, outras 4.700 perderam o emprego.

As perdas foram proporcionais à capacidade de geração de emprego nas cidades. Taboão da Serra é que tem o maior número de contratação, por isso foi mais atingida, perdendo 2.856 vagas formais. Foram 12.579 admissões contra 15.435 desligamentos. 

Em Embu das Artes a perda foi de 1.427, com 6.297 contratações e 7.724 demissões. Já Itapecerica, que gerou 3.580 vagas, mas mandou embora 3.923 pessoas, encerrou o semestre com saldo negativo de 343 empregos perdidos.

 

Comentários