Em 1 dia, Taboão bate novo recorde, registra 7 mortes por Covid-19 e total de vítimas chega a 64

Por Gabriela Pereira - Especial para o Jornal na Net | 29/05/2020

Taboão da Serra bateu um novo recorde e registrou em um único dia 7 mortes por coronavírus, segundo informou a Secretaria de Saúde de Taboão da Serra nesta sexta-feira, 29. Desde o começo da pandemia, a cidade nunca tinha registrado um número tão grande de óbitos em apenas 24 horas. Agora, o total de vítimas fatais pela doença chega a 64.

Duas mulheres que faleceram, uma de 40 e outra de 46, e um homem, de 70 anos, estavam internados no Hospital das Clínicas (HC). A mais velha era hipertensa. Um homem, de 47, asmático, estava no Emílio Ribas. Outro, de 37 anos, com cardiopatia, estava no Hospital Municipal José Soares. As duas últimas mortes, de dois homens de 49 e 61, aconteceram na cidade. O primeiro faleceu na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Akira Tada e o segundo no Hospital de Campanha.

Ainda de acordo com o boletim divulgado, o número de moradores que já foram infectados chegou a 481. Destes, 259 foram curados e 158 ainda estão sendo acompanhados. Outras 214 pessoas esperam o resultado do exame e 332 suspeitas já foram descartadas. Ao todo, 1027 casos já foram relatados ao município.

Taboão da Serra, que tem maior densidade demográfica do país, com cerca de 13 mil habitantes por quilometro quadrado, segundo o IBGE, segue sendo a cidade da região Sudoeste da Grande São Paulo com maior número de mortes causadas pela Covid-19, com uma taxa de letalidade de 13%.

Para tentar barrar o avanço da doença na cidade, foi decretado estado de calamidade pública, com a proibição de funcionamento de todos os comércios considerados não essenciais e a suspensão das aulas. Segundo a orientação do Governo de São Paulo, até dia 31 a medida estará mantida.

No município também passou a ser passou a ser obrigatório o uso de máscaras, que começaram a ser produzidas pela Escola de Corte e Costura para ser entregues à população de graça. Ao todo, mais de 25 mil já foram distribuídas.

As ruas, calçadas, pontos de ônibus, entradas e portões de casas e áreas próximas às Unidades Básicas de Saúde (UBS), do Pronto Socorro, da Unidade de Pronto Atendimento e do Hospital de Campanha são lavadas com uma solução desinfectante.

Foi instalado na cidade um sistema para tirar dúvidas e evitar que a população se desloque para unidades médicas sem necessidade. Moradores podem entrar em contato com número 0800 7758500, que funciona todos os dias, das 07h às 19, para tirar esclarecer questões sobre o coronavírus. Todas as UBS também têm seu próprio canal par tirar dúvidas. 

Flexibilização da economia

Taboão, por estar inserida na região Metropolitana de São Paulo, não poderá iniciar a flexibilização da economia no dia 1 de junho, como prevê o plano de reabertura do Governo de SP para algumas cidades. Isso porque a “retomada consciente” tem 5 fases e determina que os comércios retomem os serviços gradualmente a partir do nível 2. Taboão da Serra e todas as cidades da região estão no nível 1, portanto, continuaram na quarentena por enquanto.

As 17 regiões do Estado foram divididas em 5 níveis. Cada um deles possui um pré-requisito que determina de que forma as atividades serão retomadas, levando em consideração a quantidade de leitos de UTI ainda disponíveis e a evolução dos casos de Covid-19. O plano estabelece cerca de 60 protocolos e 500 diretrizes com recomendações para os setores, que poderão ser consultados no site.

A fase 1 é a vermelha. Ela determina que apenas setores considerados essenciais sejam abertos. Já no nível dois, que é laranja, a abertura controlada pode ser feita por shoppings centers, comércio, imobiliárias e concessionária. Na fase três, amarela, há uma maior flexibilização da quarentena, com a permissão de abertura de salões de beleza, bares e restaurantes. A 4, que é a verde, prevê a abertura também de academias e a 5, classificada pela cor azul, pressupõe um quadro já controlado e autoriza a retomada de todas as atividades econômicas.

Comentários