Sem atenderem requisitos para flexibilização, Taboão, Embu e Itapecerica devem continuar quarentena

Por Gabriela Pereira - Especial para o Jornal na Net | 27/05/2020

O governador João Dória anunciou nesta quarta-feira, 27, durante coletiva de imprensa, o novo plano de reabertura da economia do Estado de São Paulo. Chamado de “retomada consciente”, o projeto tem 5 fases e determina que os comércios retomem os serviços gradualmente a partir do nível 2. Como Taboão da Serra, Embu das Artes, Itapecerica da Serra, Embu-Guaçu, São Lourenço e Juquitiba ainda estão na fase 1, assim como todas as cidades da Grande São Paulo, as atividades econômicas consideradas não essenciais ainda não voltarão e a região continuará na quarentena pelo menos até o dia 15 de junho.

O plano foi elaborado por autoridades estaduais em parceria com especialistas do Centro de Contingência do Coronavírus e do Comitê Econômico Extraordinário. Apesar de complexa, a classificação foi desenvolvida para poder controlar a abertura da economia de forma segura, impedindo o avanço desordenado do vírus.

As 17 regiões do Estado foram divididas em 5 níveis. Cada um deles possui um pré-requisito que determina de que forma as atividades serão retomadas, levando em consideração a quantidade de leitos de UTI ainda disponíveis e a evolução dos casos de Covid-19. O plano estabelece cerca de 60 protocolos e 500 diretrizes com recomendações para os setores, que poderão ser consultados no site.

Entenda os níveis

A fase 1 é a vermelha. Ela determina que apenas setores considerados essenciais sejam abertos, assim como já estava sendo feito anteriormente em todo o Estado. Além da Grande São Paulo, a Baixada Santista e Registro também estão inclusas nesta fase. Nestas regiões, o índice de ocupação dos leitos é alto e os casos de coronavírus não têm apresentado recuo.

Já no nível dois, que é laranja, a abertura controlada pode ser feita por shoppings centers, comércio, imobiliárias e concessionárias. Apesar da possibilidade de retomada, os comércios devem seguir algumas determinações, como controle do fluxo de pessoas e regras para o distanciamento social. Além da capital paulista, as regiões de Campinas, Taubaté, Piracicaba, São João da Boa Vista, Ribeirão Preto, Franca, São José do Rio Preto, Araçatuba, Marília e Sorocaba estão nesta fase.

Na fase três, amarela, estão as regiões de regiões de Bauru, Araraquara, São Carlos, Barretos e Presidente Prudente. Nela há uma maior flexibilização da quarentena, com a permissão de abertura de salões de beleza, bares e restaurantes.

Na etapa 4 e 5 ainda não estão inclusas nenhuma cidade. A 4, que é a verde, prevê a abertura também de academias e a 5, classificada pela cor azul, pressupõe um quadro já controlado e autoriza a retomada de todas as atividades econômicas.

O acompanhamento de cada fase será feito semanalmente, observando a capacidade de internação de leitos de UTI de cada região e novas internações feitas por coronavírus. Uma região só poderá avançar à próxima etapa após manter por 14 dias os indicadores de saúde estáveis. Caso haja diminuição nos números, a região poderá voltar para a etapa anterior.

Com informações da Agência Brasil

 

 

Comentários