Com nova queda, isolamento social registra 49% em Taboão da Serra e Embu das Artes

Por Gabriela Pereira - Especial para o Jornal na Net | 16/04/2020

Um novo balanço do Sistema de Monitoramento Inteligente (SIMI-SP) divulgado pelo Governo do Estado nesta quarta-feira, 15, mostra que o isolamento social em Taboão da Serra e Embu das Artes continua caindo. Na terça-feira, 14, o índice bateu 49% nas duas cidades. O valor considerado ideal pelo Estado para que não haja sobrecarga no sistema de saúde é de 70%, mas até agora nenhum dos municípios conseguiu atingir a meta recomendada.

Na semana passada, as cidades vinham registrando aumento de adesão ao isolamento, no entanto, o número voltou a cair com o início desta semana. A tendência pode ser explicada porque antes de começaram a ser monitoradas as cidades teriam em seguida um feriado prolongado, o que pode ter diminuído a circulação de pessoas nas ruas já que muitas não precisariam ir trabalhar.

Em Taboão da Serra, a queda foi de 1% em relação a segunda-feira, 13, dia em que 50% da população ficou dentro de casa. O índice já tinha tido queda de 10% porque no domingo de páscoa, 12, 60% dos moradores obedeceram à quarentena.

Já em Embu das Artes o isolamento social foi de 51% para também 49% de segunda, 13, para terça, 14, queda de 2%. Esta também foi a segunda diminuição de adesão à quarentena na cidade. Domingo, dia 12, 63% dos moradores ficaram em casa.

Da região, Itapecerica da Serra é a cidade que tem melhor desempenho. No domingo, 12, o município atingiu isolamento de 76%, o maior em todo o Estado. O índice também caiu durante a semana, mas ainda é o maior entre os outros municípios do entorno. Nesta terça, 14, 56% da população não saiu de casa.       

A aferição é feita todos os dias pelo Governo do Estado por meio do SIMI-SP, criado por uma parceria com as operadoras de celular Tim, Claro, Oi e Vivo. Pelo sistema, é possível verificar pelo celular os deslocamentos nos 645 municípios de São Paulo e estimar a porcentagem de pessoas que aderiram ao isolamento social. Por isso, é possível apontar qual é a região com mais pessoas nas ruas.

Comentários