Coronavírus: apesar de caso suspeito, secretária de Saúde de Taboão diz que não há motivo para pânico

Por Gabriela Pereira - Especial para o Jornal na Net | 27/02/2020

A secretária da Saúde de Taboão da Serra, dra. Raquel Zaicaner, informou durante coletiva de imprensa na manhã desta quinta-feira, dia 27, que não há motivo para pânico após a cidade registrar a primeira suspeita de coronavírus. O exame para confirmar ou não o caso está sendo analisado pelo instituto Adolf Lutz e ficará pronto em até três dias.

“Não é um momento para as pessoas estarem apavoradas, de deixarem de ir em seus compromissos [...]. As pessoas não precisam sair de máscara o tempo inteiro, não ir para a escola ou não deixar o filho ir, sair do trabalho mais cedo.”, afirmou a dr. Raquel.

O suspeito de infecção é um morador de 30 anos que voltou recentemente de Milão, na Itália, e procurou a UPA Akira Tada, no Jardim Helena, após apresentar coriza e dor de garganta. “A equipe dos prontos socorros rapidamente identificou, tomaram todas as medidas cabíveis, de isolamento, de proteção e prosseguimos com a investigação”, ressaltou Raquel.

O homem não apresentou todos os sintomas clínicos do novo vírus, como febre e tosse, mas, ainda sim, uma “autodeclaração” não foi menosprezada. “Os exames clínicos e laboratoriais gerais estão muito bons. É um quadro leve, mas foi colhido o exame, o Swab, que vai ser processado pelo Instituto Adolf Lutz e a gente aguarda o resultado”, afirmou ainda a secretaria.

Após ser atendido e ter o exame coletado, o paciente foi liberado para vigilância domiciliar. Somente ele está sendo monitorado porque, além de morar sozinho, desde que voltou de viagem, não teve contato com ninguém.  

“Mesmo tendo positividade de caso, ele é importado, veio da Itália, como o de São Paulo. Então nós não temos transmissão. A partir do momento que houver transmissão, a gente passa para um outro patamar”, explicou Dr. Wilson Carron, coordenador da vigilância epidemiológica, que também esteve presente na coletiva. “Enquanto não houver transmissão dentro do território, a gente tem uma situação de monitoramento”, completou Raquel.

A orientação da secretaria é que se alguém tiver viajado para países afetados e apresentar algum sintoma, deve procurar a unidade de pronto atendimento mais próxima. Medidas básicas de higiene também dever ser adotadas, como lavar as mãos com água e sabão, usar álcool em gel, cobrir o rosto com o cotovelo ao tossir ou espirrar e usar lenço de papel;.

Comentários