Fernando Fernandes responde Aprígio após discussão na Alesp com deputada Analice

Por Gabriela Pereira - Especial para o Jornal na Net | 28/12/2019

A sessão da Assembléia Legislativa do Estado de São Paulo da quarta-feira, dia 18, foi marcada por uma discussão acalorada entre a deputada Analice Fernandes (PSDB) e o deputado Aprígio (Podemos). Ele se dirigiu à deputada durante a votação do orçamento estadual para perguntar "quantas casas o marido dela construiu em 8 anos de prefeito e mais 8 que ele que ele teve antes?".

Na ocasião, Analice chegou a rebeter Aprígio durante a sessão, dizendo que Fernandes não era construtor como ele, mas que "constrói uma cidade melhor" e que ele "não tem uma cooperativa que tira dinheiro da população". Mas o embate político respingou em Taboão da Serra, com resposta de Fernando Fernandes ao deputado dois dias depois durante coletiva de imprensa para anunciar um convênio de 2 milhões viabilzado por Analice para a construção do "Complexo da Mulher"

"Talvez você não conheça a história do Taboão em relação à moradia", disse Fernando Fernandes antes de elencar algumas execuções de seu governo. "Lá em 1888 89 até os anos de 92 tivemos, com a minha participação, não digo a primeira, mas pelo menos do momento em que eu começo a participar da politica de taboão da serra, a primeira vitória, que foi a assinatura da construçaõ do CDHU do Laguna", começou.

"Nós fizemos vários projetos habitacionais que tiveram prosseguimento e ampliação, como o Síítio das madres 2 3 4", relembrou "Quando eu construi a Avenida Fernando Fernandes, havia um córrego e a gente tirou todas as pessoas que moravam em cima dele e as transferimos la para o Saint Morritz. Foram 128 familias", disse.

Fernando ainda citou a a construçaõ do CDHU do Pq. Jacarandá, toda a infraestrutura do Jardim Saint Morritz, como a construção das sarjetas, luz e esgoto, além do progrmaa Habitar Bid e do CDD e de todo o plano de regularização fundiária de seu mandato, que somente este ano entregou escrituras para cerca de 3 mil famílias somente este ano e deve chegar a 2 mil no final do ano que vem.

"Essas coisas foram todas realizadas enquanto eu estive no comando da cidade", relatou ao dizer que não "faz moradia popular para vender a preço de mercado. E uma moradia da qual um morador não consegue ter escritura devido as irregularidades que são cometidas", criticou Fernando. Ele também aproveitou para questionar Aprígio sobre o que "ele fez além de construir prédios para vender, se tornar o homem mais rico da cidade presidindo uma entidade que não tem fins lucrativos?".

Ao lado de Fernandes, Analice também falou sobre a briga com o deputado. "O plenário da assembleia legislativa, eu quero dizer aqui de antemão, não é local para debate específico de cada cidade e não é lugar para lavar roupa suja. O que ele tiver que lavar, que venha lavar aqui e para quem ele tiver que perguntar, ele pergunte. Não mande recado. porque ao meu ver aquele que não pergunta para a pessoa certa ou tem medo da resposta ou é imcopetente na hora de fazer a pergunta", finalizou.

 

Comentários