Justiça Federal determina permanência de Ney Santos no cargo de prefeito

Por Gabriela Pereira - Especial para o Jornal na Net | 17/12/2019

A Justiça Federal determinou na tarde desta terça-feira, dia 17, o retorno de Ney Santos ao cargo de prefeito. Ele estava afastado desde a última quinta-feira, dia 12, e a sua permanência aconteceu depois que a defesa fez o pedido de Habeas Corpus. Segundo imagens que circulam nas redes sociais de apoiadores de Ney, a medida também suspende o indiciamento do prefeito pelo crime de lavagem de dinheiro.

“Aduzem os impetrantes, em síntese, que o indiciamento foi determinado de forma genérica e infundada, na medida em que inexiste qualquer ato ou diligência de investigação anexado aos autos que justificasse o formal indiciamento do paciente”, consta na decisão proferida nesta tarde.

Ney foi afastado pela Justiça após ser indiciado pela Polícia Federal por lavagem de dinheiro entre os anos de 2014 e 2017. Ele também era investigado por ocultação de bens. O inquérito do caso corre em segredo de justiça.

Em informações divulgadas pelo site G1, o atual prefeito de Embu das Artes esconde uma série de propriedades por meio de laranjas. Entre os bens estão um terreno em Itaquaquecetuba e outro em Peruíbe, no litoral paulista, um apartamento mobiliado no bairro do Tatuapé, salas de um edifício e uma vaga de garagem em Curitiba, diversos veículos, além de terras na Bahia.

A operação Hammer- On que resultou no indiciamento de Ney Santos foi deflagrada em 2017, no Paraná, e apurava um esquema bilionário contra o sistema financeiro nacional, lavagem de dinheiro, evasão de dividas e organização criminosa. O grupo agia desde 2008.

 

Comentários