Taboão da Serra e Embu das Artes receberão obras de saneamento da Sabesp

Por Redação | 4/12/2019

A cidade de Taboão da Serra e Embu das Artes receberão obras de saneamento básico da Sabesp. O anúncio foi feito pelo governador João Dória na última segunda-feira, dia 2, que assinou os contratos e financiamento concedidos pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento) e pelo Banco Mundial (Bird). Ao todo, 2,5 bilhão serão investidos.
 
Divididas em 14 lotes, as obras vão beneficiar cerca de 3,3 milhões de pessoas que moram em locais abrangidos pela bacia do rio Pinheiros, uma área de 271 km² que inclui bairros nos municípios de São Paulo, Embu das Artes e Taboão da Serra.
 
As obras fazem parte do Novo Rio Pinheiros, projeto que pretende despoluir o rio Pinheiros até 2022. Por meio da implantação de interceptores, redes coletoras e ligações, entre outras medidas, a iniciativa vai elevar o tratamento de esgoto na região em 2.800 litros por segundo, dos atuais 4.600 litros por segundo para 7.400 l/s em 2022.
 
Este é um dos eixos do programa, que contempla ações de saneamento, desassoreamento, coleta e destinação dos resíduos sólidos, revitalização das margens e educação ambiental.
 
Os quatro primeiros lotes anunciados para obras de saneamento pela Sabesp vão ampliar a coleta e envio para tratamento do esgoto de 47 mil imóveis localizados nas sub-bacias dos córregos Corujas/Rebouças, Ponte Baixa/Socorro, Aterrado/Zavuvus e Pedreira/Olaria, beneficiando uma população de 770 mil pessoas em todo o entorno.
 
Os trabalhos vão elevar em 21% o volume de esgoto tratado na região, passando dos atuais 960 litros por segundo para 1.157 l/s e reduzindo a carga orgânica que chega aos cursos-d’água e alcança o Pinheiros. Somados, os contratos totalizam R$ 236 milhões.
 
Para o restante das obras, as empresas serão contratadas com base na performance. Com esse modelo, a empresa que vence a licitação fica responsável por todas as obras de ampliação e adequação do sistema de esgotamento sanitário e sua remuneração depende do resultado obtido. Para a avaliação, serão consideradas metas como o total de novos imóveis conectados à rede e a qualidade da água do córrego.
 
Como parte do Novo Rio Pinheiros, também haverá ações para orientar os moradores a fazer a conexão de seus imóveis à rede de esgoto disponível, como determina a legislação. Em áreas de alta vulnerabilidade social, a conexão poderá ser feita pelo Se Liga na Rede, o programa da Sabesp que executa obras gratuitamente dentro de imóveis de famílias de baixa renda, permitindo que as casas sejam ligadas à rede de coleta de esgoto.
 
As ações contribuem diretamente para a revitalização dos rios Pinheiros e Tietê, principais rios metropolitanos. Até 2025, a Companhia vai ampliar a cobertura de coleta de esgoto na Grande São Paulo para 92% e o tratamento também para 92%.
 
O financiamento de US$ 300 milhões do BID terá uma contrapartida de US$ 200 milhões da Sabesp, recursos que serão investidos na implantação de 156 km de interceptores e coletores-tronco e 204 km de redes coletoras, além
da ampliação da capacidade das estações de tratamento de esgoto (ETEs) Parque Novo Mundo, São Miguel e Barueri.
 
Já o contrato de financiamento junto ao Banco Mundial para o Programa de Saneamento Sustentável e Inclusivo prevê investimentos na distribuição de água na RMSP, com destaque para a ampliação do programa Água Legal, a ação da Sabesp para regularização de ligações de água em regiões de alta vulnerabilidade social. Nesses locais, os moradores recorrem com frequência a soluções improvisadas de abastecimento.
 
Está prevista a execução de cerca de 152 mil ligações de água e 38 mil de esgoto nessas áreas, além da troca de 850 km de rede de água, para a redução de perdas na Grande São Paulo. Também serão investidos recursos na coleta e tratamento de esgoto no entorno da represa do Guarapiranga, a fim de contribuir para a despoluição do reservatório. O financiamento de US$ 250 milhões do Banco Mundial terá contrapartida de US$ 100 milhões da Sabesp.

Comentários