Tribunal de Justiça absolve Ney Santos e Dr. Peter da acusação de usar dinheiro do crime na eleição

Por Gabriela Pereira - Especial para o Jornal na Net | 3/12/2019

O Tribunal de Justiça de São Paulo decidiu nesta terça-feira, 3, por 5 votos contra 1, absolver o prefeito Ney Santos (PRB) e seu vice, Peter Calderoni (MDB), da acusação de usar dinheiro do crime organizado para financiar a campanha à prefeitura de Embu das Artes em 2016. A absolvição pelo TJ tirou um peso das costas do prefeito Ney e de seu vice, que por quase 3 anos conviveram com as especulações de que não poderiam disputar a reeleição. A vitória no tribunal dá novo ânimo à dupla e abre caminho para a disputa eleitoral no próximo ano. A decisão foi amplamente comemorada pelo prefeito e seu grupo político.

“Sempre estive confiante na justiça de Deus e na justiça dos homens. Não cometi crime algum para merecer uma cassação, minhas contas foram aprovadas pelo juiz eleitoral e graças a Deus não cometeram a injustiça que meus opositores tanto esperavam”, afirmou o prefeito disparando contra a oposição ao seu governo.

Após ser eleito em 2016, Ney Santos foi impedido de assumir o cargo pela Justiça Eleitoral e teve sua prisão decretada por conta da acusação de que teria usado dinheiro do crime para financiar a campanha eleitoral. À época, a defesa recorreu ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE), que manteve a decisão. A medida, no entanto, foi suspensa pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e Ney pode assumir o mandato por meio de uma liminar que suspendeu os efeitos da decisão.

Em março de 2018 o caso voltou à pauta no Supremo Tribunal Federal (STF), que manteve o caráter liminar da posse após a votação entre os ministros empatar. 

Imediatamente depois de conseguir a absolvição no Tribunal de Justiça Ney Santos mandou recado claro à oposição de que vai trabalhar firme para disputar a reeleição. “Seguirei firme trabalhando e agora mais do que nunca estarei nas ruas de Embu das Artes olhando nos olhos do povo e levando a verdade nos 4 cantos da nossa cidade”, relatou Ney.

O advogado Joel Matos Pereira, que nos últimos anos ganhou notoriedade ao sair vitorioso em várias ações envolvendo o prefeito Ney Santos,  também celebrou. Ele citou que a decisão do Tribunal de Justiça foi acertada e está respaldada nas jurisprudências do próprio TJ e do Supremo.

“Foi uma decisão justa em todos os seus termos. Todas as contas da campanha foram aprovadas sem qualquer mácula ou ressalva tanto do Ministério Público, quanto da Justiça Eleitoral. Não havia qualquer fato que justificasse a cassação. O que a gente nota é a perseguição dos adversários que se valem do judiciário”, observou.

Comentários