Adolescente da zona rural de Itapecerica ainda busca apoio para conseguir embarcar em intercâmbio no México

Por Gabriela Pereira - Especial para o Jornal na Net | 14/11/2019

O adolescente Matheus Lopes Hengles, morador do bairro Potuverá, zona rural de Itapecerica da Serra, ainda busca apoio para conseguir embarcar em um intercâmbio no México, o Latin American Leadership Academy (LALA). O menino, de apenas 16 anos, foi um dos poucos selecionados em toda a América Latina para para ganhar uma bolsa no programa, que acontece no mês de dezembro.

Como o valor da bolsa cobre só metado dos gastos, a família de Matheus teria que bancar a outra parte, no entanto, os pais não têm condições de desembolsar o valor. Por isso, para não desistir de seu sonho, o adolescente criou uma vaquinha online para arrecar dinhero, mas como as doações estavam abaixo do esperado, Matheus decidiu comprar um tablet com o  pouco dinheiro arrecadado para fazer uma rifa (clique aqui para ajudar). Ele precisa de cerca de 7 mil até o fim de novembro. 

O adolescente só foi agraciado com parte da bolsa por causa de suas condições financeiras. Ele mora com o pai, o mecânico Wagner Hengles, e a mãe, a dona de casa Sônia Lopes, e mais dois irmãos. Um deles, de um ano de idade, tem síndrome de down. 

"A luta por impactos sociais positivos é contínua e recentemente recebi a aprovação de um curso sobre liderança social no México, ele irá contribuir com o meu desenvolvimento, no entanto, precisarei arcar com mais custos, pois recebi uma bolsa parcial e preciso pagar as passagens de ida e volta, tudo isso até o final de novembro", disse o adolescente.

Este é o segundo intercâmbio internacional em que ele é agraciado com uma bolsa de estudo, no entanto, assim como agora, no primeiro Matheus também teve que se mobilizar para conseguir ajuda com os custos não pagos por Stanford, instituição norte-americana localizada na Califónia. Em menos de três meses, foi arrecadado o valor do passaporte, do visto e da passagem.

Agora, o tempo é menor e o desafio continua. A princípio, o programa aconteceria na Costa Rica, mas por uma decisão da organização, foi transferido para o México. O LALA, como explica, “são bootcamps, cursos de liderança para jovens na América Latina em que ocorre uma imersão por uma semana”, explicou Mathues. As aulas serão ministradas em inglês, mas como também terá contato com o espanho ele estuda por conta própria em casa.

O afinco do adolescente em relação aos estudos vem da sua percepção de que o país precisa ter mudanças sociais profundas. Para isso acontecer, porém, é necessário que as pessoas se movimentem com conhecimento e propriedade nesse sentido. "Nosso país, assim como toda a América Latina, precisa de pessoas que possam impactar positivamente sua comunidade. Nós precisamos urgentemente de bons líderes", finalizou.

Comentários