Após queda de telha em pátio, pais de alunos reclamam de precariedade na escola Iria Kunz, em Embu

Por Gabriela Pereira - Especial para o Jornal na Net | 6/11/2019

A queda de uma telha no pátio da E.E. Iria Kunz, no Jardim Presidente Kennedy, em Embu das Artes, na última sexta-feira, dia 2, provocou indignação entre pais, que reclamam há muito tempo sobre a estrutura física da escola, conforme acompanha a reportagem desde março deste ano. Apesar do susto, ninguém ficou ferido.

Após a queda, a perícia realizada pela pela Defesa Civil resultou na interdição do pátio, banheiros e cozinha. Em comunicado enviado aos pais pela escola na segunda-feira, dia 4, foi informado "que as aulas seriam administradas até às 09h30" devido questão de "segurança".

No entanto, após o esquema de horário não não funcionar, as aulas de terça-feira, dia 5, também foram suspensas. "A dirigente ligou para a diretora e pediu que ela cancelasse amanhã", disse um informe postado em um grupo de whatsapp da escola.

O episódio foi o estopim para os pais se revolvetaram ainda mais com a situação da estrutura. "A escola por si já vive em estado de abandono, desde a sala de aula até a limpeza externa. Os alunos não tem uniformes e também relatam que a merenda e ruim", disse uma mãe que preferiu não se identificar.

A reivindicação por uma reforma na escola para melhorar o prédio é feita desde março e é acompanhada pela reportagem. À época, em uma reunião realizada pela Diretoria de Ensino na escola, ficou acordado, segundo relataram os pais, que uma obra iria acontecer nos próximos meses.

Uma fonte ligada à escola, que também preferiu manter sua identidade em anonimato, informou que uma verba destinada à obra chegou a ser enviada, mas o dinheiro não pode ser usado porque a Associação de Pais e Mestres (APM) precisava ser reestruturada e as mudanças da escola em relação à troca de direção ainda não havia sido publicada no Diário Oficial. Passado um mês, a verba foi recolhida e não pode ser mais usada.

A reportagem procurou a Secretária de Educação, que confirmou o envio dos R$ 32 mil, mas não informou que o dinheiro não pode ser usado. Já sobre a queda da telha, o órgão informou que "engenheiros e técnicos [...] foram até a escola para realizar uma avaliação técnica e garantir a integridade física de todos os alunos, docentes e servidores". Ainda de acordo com a nota, as aulas suspensas serão repostas, no entanto, não foi informado uma previsão para que a manutenção acabe e nem para que a rotina escolar seja reestabelecida.

Comentários