Moradora de Embu relata não conseguir marcar pediatra para bebê de 4 meses com sopro no coração

Por Gabriela Pereira - Especial para o Jornal na Net | 2/09/2019

Edemia Nunes, de 65 anos, moradora do Jardim Santo Antônio, em Embu das Artes, relata dificuldades em marcar consultas para a bisneta, uma bebê de 4 meses com sopro no coração, na Unidade Básica de Saúde (UBS) do Jardim Pinheirinho, onde a família é cadastrada. Segundo informou, desde que nasceu, a criança passou apenas uma vez no pediatra, contrariando a recomendação médica, que pede aos pais que passem o bebê em consulta uma vez por mês até completar os seis meses de vida.

A neném, segundo a bisavó, “tem problema de sopro no coração, fez quatro meses e só passou uma vez [no pediatra]”. “Você vai lá, eles dizem que vai abrir agenda para tal mês, aí quando você volta, não tem. Eles falam que não tem vaga por falta de pediatra”, relatou. Para a moradora a situação “é uma pouca vergonha”.

Edemia ainda relatou dificuldades para marcar consulta em outras especialidades. “Não é só pediatra, não, é clínico geral, é tudo”, disse ela indignada. “Eu fui lá tentar marcar um ginecologista para minha outra neta, mas não consegui”, completou. Apesar da falta de pediatra relatada, ela ainda relatou que não consegue marcar a consulta em outras unidades de saúde porque no município você só pode ter atendimento por meio de consulta na UBS em que é cadastrada. 

A reportagem entrou em contato com a prefeitura, que respondeu por meio de nota "que a unidade no momento tem vaga para consulta de pediatra disponível para o mês de setembro" e  que "a munícipe deve procurar o gerente da UBS Jd. Pinheirinho para tratar sobre o agendamento". A nota também diz que "o atendimento a bebês de 0 a 2 anos de idade é prioritário na rede, portanto, quando a unidade é demandada e não possui disponibilidade para essa especialidade, ela procura uma vaga em outra unidade mais próxima". 

Comentários