Por falta de distribuição do Governo Federal, UBSs de Taboão estão sem vacina Pentavalente

Por Gabriela Pereira - Especial para o Jornal na Net | 30/08/2019

A vacina Pentavalente está em falta nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs) de Taboão da Serra desde junho. Isso porque o Ministério da Saúde, responsável pelo envio, ainda não fez a reposição das doses, que são aplicadas em bebês aos 3, 6 e 9 meses. O estoque da vacina vai ficar zerado até outubro, quando a situação deve ser normalizada, segundo o Governo Federal.

“A distribuição da vacina é feita em cascata. O Governo Federal é responsável pela aquisição, depois manda para os Estados, que distribui aos municípios”, explicou a secretaria da Saúde de Taboão, a dra. Raquel Zaicaner. Ela também informou que esta é a primeira vez em sua gestão – que teve início em 2013 – que a Pentavalente fica escassa na cidade.

Com a ausência da vacina, crianças nascidas no mês de março em Taboão podem ainda não ter tomado a dose, que protege contra doenças como difteria, tétano, coqueluche, hepatite B e haemophilus influenza B.

“Assim que a gente tiver o abastecimento do Governo Federal, nós vamos avisar a todos que ela chegou e as pessoas têm que levar as crianças para se imunizar [...] é preciso tomar as três doses”, disse ainda Raquel.  As crianças que tomarem a vacina após a data prevista no calendário vacinal não terão a imunização prejudicada.

Em um boletim informativo enviado pelo Ministério da Saúde consta que a falta da vacina aconteceu porque a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) interditou mais de 3,2 milhões de doses. Agora é aguardada a chegada de 9 milhões da vacina adquiridas este ano.  

O órgão ainda informou que “tem realizado todos os esforços possíveis para a regularizaçõa da distribuição dos imunobiológicos e vem intensamente trabalhano conjuntamente com os laboratórios na discussão de cronogramas de entrega, com vista a reduzir possíveis impactos no abastecimento desses insumos”.

Abastecimento irregular de outras vacinas

Além da Pentavalente, a secretaria também informou que outras vacinas estão com “abastecimento irregular”. “Tem vacina que você pede 100 doses e vem 40”, disse. No boletim da Ministério da Saúde, a antitetânica, a difteria, tétano e pertussis (DTP), bem como a antirrábica humana e a DTP celular estão com o abastecimento interrompido. Já a imunoglobulina anti-varicela zoster está com a distrbuição parcial.

Comentários