Secretaria da Saúde de Taboão reforça apelo à população que ainda não se vacinou contra Febre Amarela

Por Gabriela Pereira - Especial para o Jornal na Net | 20/01/2019

A Secretaria de Saúde de Taboão da Serra está reforçando o apelo à população do município que ainda não se imunizou contra a Febre Amarela. Os taboanenses que ainda não tomaram a dose da vacina podem procurar qualquer UBS da cidade com um documento de identidade e carteira de vacinção em mãos.

Apesar de ter vacinado boa parte da população, ainda há munícipes em Taboão que não se imunizaram. "Importante quem não tomou, vir tomar pois é doença com alta letalidade, ou seja, pode matar. E a vacina é o único jeito de prevenir", alerta a secretária da pasta, a Dra. Raquel Zacainer. 

Ainda de acordo com a Raquel, "quem já tomou uma dose em outra ocasião, não precisa tomar de novo", pois pode sofrer reações adversas.

A vacina é indicada a pessoas maiores de 9 meses de idade e menores de 65 anos. Grávidas, mulheres que amamentam crianças de até 6 meses e imunodeprimidos, como pacientes em tratamento quimioterápico, radioterápico ou com corticoides em doses elevadas, não devem tomar a dose. Já pacientes portadores de HIV e transplantados devem consultar o médico.

O apelo se faz importante devido aos primeiros registros de casos e mortes pela doença no Estado de São Paulo. Em Bertioga, na Baixada Santista, a administração municipal já confirmou a morte de um rapaz de 23 anos em decorrência do vírus da febre amarela.

Já em Eldorado, interior de São Paulo, há pelo menos nove casos confirmados. Destes, quatro pessoas já morreram e quatro ainda estão sob observação médica. Em Pariquera-Açu e Jacupiranga, ainda no interior, também há registros de infectados.
Sintomas da Febre Amarela

Sintomas da Febre Amarela

Quem contrai o vírus da doença, pode apresentar os seguintes sintomas: febre repentina, calafrios, dor de cabeça intensa, dores nas costas e no corpos, além de náuseas e vomitos, fadiga e fraqueza.

Vale ressaltar, no entanto, que 15% dos infectados podem não ter os sintomas por um breve período ou nem sequer apresentá-los. Estes podem desenvolver uma forma mais grave da doença.

Comentários