Investigador da Polícia Civil morre após levar vários tiros de um PM em Taboão da Serra

Por Sandra Pereira | 28/05/2016

O investigador da Policial Civil Fernando dos Santos Menani que trabalhava e morava em Taboão da Serra foi morto na noite deste sábado, 28, na porta da sua casa, no Parque Pinheiros com cinco tiros. O acusado de matar o investigador é um policial militar identificado como Wilton, que seria integrante da 2ª Cia da PM, também em Taboão da Serra. Um dos tiros atingiu o policial civil no pescoço. Ele chegou a ser socorrido para o pronto do Socorro do Antena, mas não resistiu aos ferimentos e morreu. Menani deixou 4 filhos, a mais de nova tem apenas 9 anos e presenciou o assassinato do pai.

Antes de morrer o investigador atirou contra o PM. O disparo atingiu a bexiga do militar que foi socorrido para o Hospital Geral do Pirajuçara e segundo apurou a reportagem do Jornal na Net passa bem. A expectativa é de que o acusado seja preso em flagrante. Há relatos de que vários policiais civis e militares se dirigiram ao HGP, incluindo integrantes da corregedoria.

Os moradores das imediações da tragédia ficaram assustados com o fato. Entre os policiais da cidade e da região a repercussão do crime foi imensa e todos temem que se instale um clima de tensão perigoso entre as duas corporações.


As informações iniciais indicam que o investigador da Polícia Civil estaria enfrentando problemas com um vizinho, que teria acionado o policial militar e outros homens para "resolver o problema".

No começo da noite deste sábado o investigador tentava entrar na garagem de sua casa, mas acabou sendo impedido por um táxi, nesse momento veículo da marca Peugeot se aproximou do local e um homem, que seria o PM, desceu atirando.

Após a morte do investigador o vizinho dele, que ainda não teve a identidade revelada, foi preso em flagrante e levado para o 1º Distrito Policial de Taboão da Serra.

O investigador era policial antigo. Já havia sido integrante do Garra e era muito respeitado entre os colegas.

Na última semana outro investigador da polícia civil da área da Delegacia Seccional de Taboão foi assassinado vítima de latrocínio. Em Embu das Artes, o cabo Maurício, da Polícia Militar desaparecido há quase um mês. Há suspeita de que ele tenha sido assassinado por um policial civil.

Comentários