Após a eleição presidencial Câmara de Itapecerica teve sessão tranquila

Por Direto da Redação do Jornal na Net | 29/10/2014

Em sessão rápida e tranquila os vereadores de Itapecerica da Serra aprovaram projeto de decreto legislativo que concede ao Sr. Sebastião José Duarte título de cidadão itapecericano, o projeto é de autoria do vereador Ramon Corsini que agradeceu o reconhecimento e aprovação pelos edis. Também foram aprovados requerimentos e outros projetos na noite da terça-feira, dia 28. 

O vereador Pastor Ernandes  relembrou a disputa acirrada que deu a vitória para a presidente Dilma Rousseff no segundo turno, no último domingo dia 26. O vereador ainda agradeceu os esforços feitos pelos demais vereadores na corrida eleitoral com o objetivo de eleger a presidente Dilma e agradeceu a votação que a candidata eleita teve na cidade. 

Também o vereador Alex Pires usou da tribuna para fazer críticas a um ex-vereador que fala no Jardim Montesano que as conquistas do bairro e da cidade são ações dele feitas para a população. Pires, ressaltou a dificuldade de um vereador em apresentar indicações e aguardar o Executivo atender a demanda, o que de acordo com o vereador às vezes levam meses para ser respondida já que a cidade tem várias solicitações. Também agradeceu o prefeito Chuvisco, que atendeu a solicitação para construção da UBS do Jardim Montesano e também a estrada do Caputera, que em parceria com o prefeito de Embu das Artes já está em andamento a obra. 

O presidente da casa de Leis, Cicero Costa criticou a atuação das empresas Eletropaulo e Engeluz que deixou o centro do Jardim Jacira sem iluminação pública por mais de 20 dias. A empresa também não respondeu as solicitações, o vereador destacou indignação por 22 protocolos feitos e respondido apenas dias depois. 

No final da sessão, o vereador Sangue Bom foi impedido de falar uma vez que fez inscrição para falar na tribuna após o primeiro inscrito ser chamado e de acordo com o regimento interno não é permitido. Sangue Bom reclamou alegando que os direitos e deveres devem ser iguais para todos. Não é de hoje as discussões em função do regimento interno entram em pauta entre os edis. 

Comentários