“Mortes podem chegar a 5 mil por dia”, diz Dimas Covas

Por Natália Bassi | 5/04/2021

O diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, alertou sobre a gravidade do momento que atravessamos em todo o país no período mais difícil da pandemia. Segundo ele, se as medidas de isolamento não forem endurecidas e seguidas à risca, o Brasil poderá chegar a 5 mil mortes diárias ainda neste mês de abril.

Dimas Covas lembrou que até pouco tempo se discutia sobre a possibilidade de atingirmos 2 mil mortes por dia, mas que não só chegamos a esse número, como o ultrapassamos. O Brasil, pela primeira vez em um ano, vem atingindo média diária de 3 mil óbitos.

“Há uns 20 dias, parece que ninguém imaginava que iríamos chegar à casa dos 3.000 mortos por dia. Os especialistas apontavam que estávamos caminhando pra isso, mas a opinião geral da população não era essa. E então cruzamos a casa dos 2.000, já passamos na casa dos 3.000, estamos indo para os 4.000 e vamos chegar a 5.000 mortes por dia", afirmou ao jornal Valor Econômico.

O diretor do Butantan fez duras críticas ao alargamento das medidas de restrições e, principalmente, à falta de coordenação no país. Após omissão do Governo Federal, o Supremo Tribunal Federal (STF) concedeu aos estados e municípios autonomia para aplicarem as medidas restritivas. Esse fato, segundo Dimas, pode até contribuir com a diminuição regional dos casos, mas não na estabilização nacional, o que gera a piora da pandemia no país. Para ele, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) vem expondo à população a morte ao ignorar a gravidade da pandemia.

Dimas Covas lembrou que, apesar da vacina ser essencial para acabar com a pandemia, ela sozinha não fará milagre. Para ele, se não houver distanciamento social da maneira correta, o vírus continuará sendo transmitido em larga escala.

Comentários