PF realiza operação contra contrabando de migrantes em Taboão e Embu

Por Redação | 1/11/2019

Com informações da Agência Brasil 

A Polícia Federal (PF) cumpriu nesta quinta-feira, dia 31, em Taboão da Serra e Embu das Artes oito mandados de prisão temporária e 18 de busca e apreensão na Operação Estação Brás e Bengal Tiger, realizada para combater contrabando de migrantes e lavagem de dinheiro. Os mandados também foram cumpridos em São Paulo em Garibaldi, no Rio Grande do Sul. Sengundo a PF, esta uma das maiores operações internacionais já realizadas.

Desde 2018, com ajuda da polícia internacional e da agência norte-americana de imigração U.S. Immigration and Customs Enforcemen, a polícia brasileira investigava uma organização criminosa liderada por estrangeiros em São Paulo que promovia imigração ilegal para os Estados Unidos.

O grupo criminoso solicitava refúgio e fornecia documentos de viagem falsos, como passaportes, vistos e cartas de tripulantes marítimos, a migrantes ilegais do Afeganistão, Bangladesh, Índia, Nepal e Paquistão. Depois, eles desembarcavam no Aeroporto Internacional de Guarulhos, seguiam para Rio Branco (AC), atravessavam a fronteira com o Peru e prosseguiam por via terrestre até a fronteira do México com os Estados Unidos.

Durante o processo, esses migrantes sofriam maus-tratos, como cárcere privado, agressões físicas e psicológicas. Oito bengaleses chegaram a ser sequestrados por cartéis de drogas mexicanos, na cidade de Nuevo Laredo, na fronteira do México com os Estados Unidos em junho deste ano.

Segundo a PF, a organização criminosa movimentou ao menos 10 milhões de dólares entre 2014 e 2019. Os investigados responderão, na medida de suas participações, pelos crimes de contrabando de migrantes (qualificado pela submissão a condições desumanas e degradantes), lavagem de dinheiro e organização criminosa, com penas de três a dez anos de prisão, sem prejuízo de responderem por outros crimes que possam ser descobertos ao longo da investigação.

Comentários