Por telefone, PM ajuda pai a fazer parto de filho no Pq. Pirajussara, em Embu

Por Gabriela Pereira - Especial para o Jornal na Net | 9/08/2019

Uma policial militar que estava de plantão no Centro de Operação Polícia Militar (Copom) ajudou por telefone um pai a realizar o parto do filho em casa, no Pq. Pirajussara, em Embu das Artes. O homem, vendo que não conseguiria chegar a tempo até o hospital, ligou desesperado para o 190. O caso aconteceu no dia 25 de julho.

Stephanie Barbosa estava grávida de 8,5 meses quando a bolsa estourou no meio da noite. Ela estava com o marido, Élcio Lima, e a filha Evelin, de 7 anos, em casa. “Eu não sabia o que fazer, sinceramente”, informou o pai em entrevista ao SBT. O nascimento estava previsto para o dia 5 de agosto, mas ao chegar do hospital, começou a sentir contrações fortes e não tinha como sair novamente de casa.

Foi neste momento que o marido de Stephanie ligou para a Polícia Militar e foi atendido pela Sargento Silvania da Rocha, que o ajudou a fazer o parto do filho. No telefone, o pai, desesperado, chegou a dizer que “não ia conseguir”, mas a PM, do outro lado da linha, o encorajou. “Você vai conseguir, sim”, disse.

“Eu ficava apreensiva porque eu não sabia se ele ia sair do local, se ia desmaiar porque ele ficava o tempo todo me relatando que tinha problemas de saúde e eu pensava ‘meu Deus, ele vai passar mal e essa criança vai nascer sozinha’”, relatou ainda a sargento à reportagem do SBT.

Apesar da apreensão em relação ao estado de nervosismo de Élcio, a PM conseguiu tranquilizá-lo. “De certa forma, ela conseguiu me acalmar e me passar confiança. Foi como se minha mão fosse as mãos dela”, relatou.

Durante a ligação, a PM falou para Élcio pedir à esposa que fizesse força. “Se você ver a cabecinha do neném, você não puxa, só segura”, recomendou ela. Depois de alguns minutos, o bebê, agora chamado Enzo Gabriel, nasceu. "Parecia aquelas cenas de novela. Ele saiu, pulou e com a pressão, caiu na minha mão”, relatou o pai.

Não é a primeira vez que a sargento atende a este tipo de ocorrência, mas diz que, apesar disso, “é sempre a mesma emoção”. Após o nascimento, o Samu chegou no local e encaminhou a mãe e o bebê ao hospital para receberem atendimentos médicos.

Comentários