Taboão comemora 13 anos de Lei Maria da Penha com discussão de políticas públicas para combater violência contra a mulher

Por Gabriela Pereira - Especial para o Jornal na Net | 7/08/2019

A Lei Maria da Penha completa nesta quarta-feira, dia 07, treze anos. E em Taboão da Serra a data foi comemorada com um evento no Cemur junto à população para discutir políticas públicas que combatam a violência contra a mulher. Criada em 2006, a lei ganhou o nome “Maria da Penha” em homenagem a Maria da Penha Maia Fernandes, que durante longos anos foi agredida por seu companheiro e chegou a ficar paraplégica depois que o agressor tentou matá-la com um tiro.

A secretaria de Saúde da cidade, Raquel Zaicaner, falou sobre como o poder público vem atuando para acolher a mulher vítima de violência doméstica em Taboão, ressaltando que sempre é tentado trabalhar em rede com as outras secretarias “para que a mulher saia do ciclo da violência”.  “Hoje, os casos são vistos, não são jogados para debaixo do tapete [...] a rede de proteção é montada”, enfatizou.

Para Sueli Amoedo, coordenadora da Coordenadoria dos Diretos da Mulher, ao se falar sobre a Lei Maria da Penha é também preciso discutir as causas da violência contra a mulher, que, como reforça, vem do machismo. “Temos que mostrar que isso vem de muito cedo”, disse. “Devemos investir nas políticas públicas de enfrentamento”, completou.

Outro ponto que deve ser observado, ainda segundo Sueli, é o reflexo que a violência doméstica tem sobre os filhos. “Devemos nos atentar a isso para que eles não sejam futuros multiplicadores”. Ela também defendeu não só a aplicabilidade da lei, mas o fortalecimento da mulher por meio do Estado.

Durante o evento, foram apresentados por Renata Ferreira, coordenadora da Patrulha Guardiã Maria da Penha, os dados da atuação da GCM na cidade. O órgão foi criado em Taboão para inspecionar se as medidas protetivas expedidas pela Justiça estão sendo cumpridas pelos autores.  

Além de Renata, também palestraram a dra. Elizabete Leite Scheibmayr, advogada e líder do comitê de igualdade racial e combate à violência contra a mulher, Ellen Sharkany, estilista e coordenadora do projeto “Entre Linhas.  O evento ainda contou com apresentação da cantora Neyva Alencar e com aula de Zumba da professora Michele Oliver.

Estiveram presentes o vereador Ronaldo Onishi, Cido da Yafarma, Joice Silva, Priscila Sampaio, Rita de Cássia, além dos secretários municipais, Wanderley Bressan, Sandra Pereira, Arlete Silva e Raquel Zaicaner.

Comentários