Prefeitura de Taboão atende pedido de educadores e vai mandar PL à Câmara que concede férias em julho

Por Gabriela Pereira - Especial para o Jornal na Net | 2/07/2019

Um grupo de servidores da educação que reivindicou na manhã desta terça-feira, dia 2, na sessão da Câmara Municipal, o direito a férias em julho vai ter o pedido atendido pela Prefeitura de Taboão, que se comprometeu enviar ao Legislativo um Projeto de Lei que contemple os profissionais da categoria com o recesso. A votação da nova legislação está marcada para quarta-feira, às 10h.

A sessão chegou a ficar suspensa por quase 3 horas para que os vereadores fossem até a prefeitura tratar a questão. “O jurídico da prefeitura está se debruçando porque nós precisamos ter uma lei que fique de pé, para que amanhã ou depois essa lei não seja questionada”, disse o vereador Marcos Paulo, presidente da Câmara, ao ressaltar “uma alteração ampla para que os magistérios tenham os direitos garantidos”.

As férias não foram concedidas a um grupo da Educação de Taboão porque alguns cargos, como Auxiliares de Desenvolvimento Infantil (ADI), Auxiliares de Desenvolvimento Escolar (ADE) e Auxiliares de Classe, não estão dispostos no Estatuto do Magistério, que rege os direitos e deveres do funcionalismo público na área educacional da cidade.

Em plenária, o vereador Ronaldo Onishi também afirmou que as “férias estão garantidas”. “O governo entende que isso é perfeitamente possível”, disse, ressaltando ainda a qualidade da educação de Taboão, que atingiu nota 6,8 no IDEB. “Temos amigos, colegas, companheiro que dão duro para entregar a melhor educação da região e vocês são responsáveis por isso”.

O presidente da comissão de Educação, o vereador Eduardo Nóbrega, disse que o “debate da Câmara com esses funcionários vai permitir que uma lei sólida seja aprovada”. Ele ainda ressaltou que a nova lei “comtemplará na exaustão a maioria ou todas as categorias” e que “o prefeito não deixará de fora nenhuma categoria que a lei permita que seja incluída”.

 

Comentários