Justiça Eleitoral de Embu barra diplomação de Ney Santos e do vice após denúncias do MP

Por Sandra Pereira | 15/12/2016

A Justiça Eleitoral de Embu das Artes decidiu nesta quinta-feira, 15, impedir a diplomação do prefeito eleito de Embu das Artes, Ney Santos (PRB), e do vice, Peter Calderoni (PMDB)que estava marcada para ocorrer no dia 19. Para o Ministério Público a campanha de Ney Santos utilizou dinheiro do crime organizado. A decisão cabe recurso e é certo que a defesa de Ney Santos deve recorrer.

A decisão de não diplomar o prefeito e o vice está publicada no cartório eleitoral da cidade. A Justiça Eleitoral baseou a decisão em consequência da operação Xibalba, realizada pelos promotores do  Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) do Ministério Público de São Paulo.  

De acordo com informações do cartório eleitoral somente os vereadores serão diplomados no dia 19. A solenidade de posse para eles está mantida. Mas, na data o prefeito e o vice não serão diplomados. 

A informação foi divulgada em primeira mão pelo site Verboonline. De acordo com a publicação a diplomação do prefeito e vice eleitos está suspensa até o “sentenciamento” da Ação de Investigação Judicial Eleitoral, proposta nesta quarta-feira (14) pelo MP Eleitoral.


Ainda segundo o Verbo o  processo eleitoral é autônomo, mas baseado na ação criminal, já que a Promotoria aponta que a chapa investigada teve parte do custeio de campanha feito com dinheiro do crime. Sem diplomação, o eleito não está apto a tomar posse.

Se a defesa de Ney Santos não reverter a decisão até a posse dos novos vereadores e a eleição da nova diretora quem vai assumir a prefeitura será o presidente da Câmara. Antes das decisões contrárias contra Ney Santos, ele havia acordado que o Legislativo de Embu das Artes seria presidido pelo vereador Hugo Prado. Caso Ney não reverta a decisão judicial o novo presidente, que deverá ser Hugo Prado, assumirá a prefeitura até que haja novas eleições municipais.

Comentários