Deputada Analice Fernandes assina CPI da máfia da merenda

Por Assessoria de Comunicação | 13/05/2016

“O PSDB fechou questão sobre abertura da CPI da merenda, mas com uma proposta mais ampla do que a apresentada pelo PT, investigando também as 22 prefeituras envolvidas, funcionários públicos, além da COAF - Cooperativa Orgânica de Agricultura Familiar, onde houve o desvio”, explica a deputada Analice. 

Mais de 70 deputados assinaram também um Projeto de Resolução que permite que o pedido de abertura da CPI da máfia da merenda seja analisado com prioridade e ela possa ser instalada nas próximas semanas.  

O Projeto de Resolução é um instrumento legal para que a comissão não fique no fim da fila e possa ter a abertura acelerada. Atualmente, há na Alesp cinco CPIs em andamento – número máximo permitido – e 11 na fila. 

O governador Geraldo Alckmin diz que vê com bons olhos a abertura de uma nova frente de investigação. “Se há crime ele ocorreu fora do governo. De todo modo, quanto mais investigação, melhor. Toda forma de investigação é válida. De nossa parte, tomamos todas as medidas cabíveis como a exoneração de pessoas e autonomia para que a Corregedoria faça seu trabalho com absoluta independência”, afirmou Alckmin.
Fraude da Merenda

Segundo o Ministério Público e investigações da Polícia Civil a Coaf – Cooperativa Agrícola - assinou ao menos R$ 7 milhões em contratos com 21 prefeituras, além do governo estadual, somente entre 2014 e 2015, para o fornecimento de alimentos e suco para a merenda. 

Ainda de acordo com a Promotoria, parte desse valor era usada no pagamento de intermediários e agentes públicos que atuavam para facilitar ou fraudar as licitações para beneficiar a Cooperativa. O caso veio à tona em janeiro deste ano.

Comentários