Fechamento da Escola João Baptista é tema na sessão de Itapecerica

Por Direto da Redação do Jornal na Net | 14/10/2015

Os vereadores de Itapecerica da Serra aprovaram uma moção de repúdio diante da possibilidade de fechamento da Escola João Baptista de Oliveira, localizada na rua Major Manuel Francisco de Moraes, 186, no centro de Itapecerica da Serra. Os professores e pais de alunos estiveram na sessão ordinária desta terça-feira, dia 13, e os vereadores se posicionaram contrários ao fechamento da unidade escolar. A medida faz parte da reorganização das escolas estaduais discutida e que deverá ser implantada pelo Governo do Estado de São Paulo, isso deve afetar algumas escolas da região.  

Com a presença de pais e professores no plenário, os vereadores aprovaram a moção de repúdio as medidas do governo e declararam apoio aos que reivindicam educação de qualidade. Os vereadores Ramon Corsini e Alex Pires posicionaram contrários a medida e dizeram que independente de sigla partidária, os direitos de cada cidadão deve ser cobrado e como vereador devem lutar pelos interesses do povo.  

O presidente da Câmara, o vereador Alex Pires fez uso da palavra e elogiou a iniciativa dos professores, alunos e pais em reivindicarem melhorias na área da educação, ele se mostrou solidário a causa, uma vez que sua filha estuda na Escola João Baptista, que está a lista das que devem ser fechada também salientou que seu filho estudou na mesma escola e assim acredita que é uma questão delicada. Alem disso, ele cobrou o prefeito com relação ao atendimento das suas demandas e voltou a reclamar que em algumas situações não é recebido pelo prefeito restando apenas a tribuna para cobra-lo.  

O vereador Sangue Bom mais uma vez foi a tribuna para tecer criticas ao atual governo. Ele exibiu um vídeo no qual denuncia irregularidades em obras do município, de acordo com o edi muitas deles paradas desde a gestão passada. Também relembrou o desvio de dinheiro da Câmara Municipal e voltou a cobrar o prefeito com relação ao cheque que foi concedido a sua esposa, no final do seu mandato como presidente da Câmara, na Legislatura anterior. Questionou a nota de empenho e voltou a declarar que caso ninguém for preso não será candidato à vereador nas eleições municipais de 2016. 

Comentários