Você está aqui: Página Inicial » Notícias » Política

Escolas de samba de Taboão pedem apoio dos vereadores para volta do carnaval

Por Sandra Pereira | 22/10/2014

escola_samba

Sandra PereiraIntegrantes das escolas de samba da cidade participaram da sessão da Câmara Municipal 

“Não deixe o samba morrer não deixe o samba acabar...” a música deu tom da primeira parte da sessão da Câmara Municipal de Taboão da Serra, nesta terça-feira, 21. Integrantes das escolas de samba que atuam na cidade pediram ajuda dos vereadores para garantir a realização do desfile das escolas de samba em 2015. Durante quase duas horas o batuque das baterias das escolas ecoou no plenário. Não havia quem se mantivesse “imune” ao som do samba.

Embalados pela música os vereadores garantiram apoio ao retorno do desfile das escolas de samba. A sessão se estendeu até depois das 3 horas da madrugada. Os vereadores discutiram e aprovaram dois projetos do Executivo em regime de urgência e outros dois de iniciativa dos vereadores. 

Em regime de urgência foi aprovada a criação de 500 cargos de Professor de Desenvolvimento Infantil (PDI), por meio de concurso público, com a exigência do curso de pedagogia ou superior normal. A iniciativa não contempla reivindicação das Auxiliares de Desenvolvimento Infantil (ADIS) que pediam progressão para PDI. 

O outro regime de urgência foi a mudança na composição do Conselho do Fundeb, para atender legislação federal. Projeto dos vereadores Joice Silva e Cido da Yafarna criando ponto facultativo no Dia da Consciência Negra também foi aprovado, assim como a denominação de uma praça no Parque Marabá, de autoria da vereadora Luzia Aprígio. A praça vai se chamar Daniel Kapp, em homenagem ao pai da vereadora. A bancada da oposição segurou o quanto pôde a aprovação dos projetos em regime de urgência do Executivo. Na madrugada o plenário estava praticamente vazio e sem a presença de jornalistas. A sessão foi prorrogada duas vezes a primeira em 4 horas e segunda em 3.

Na defesa da retomada dos desfiles que deixaram de acontecer em 2011, o presidente da Câmara, Eduardo Nóbrega, disse haver a falsa impressão de que a prefeitura repassava muito dinheiro às escolas para realizar o desfile. Ele garantiu empenho pessoal para garantir a volta do carnaval. Lembrou que os dirigentes das escolas precisam colocar dinheiro do bolso e realizar eventos para arrecadar fundos. 

O carnaval de Taboão parou de acontecer desde que a Polícia Civil apontou problemas na prestação de contas da festa. “Voltaremos o tema até que o carnaval volte e vai voltar. Queremos entender quais os empecilhos para que o carnaval aconteça. Acredito que o prefeito tem interesse em realizar a festa e vamos intermediar essa questão. Deve haver boi na linha”, observou o presidente, argumentando que não há razão para negar a transferência de recursos às escolas para realização do carnaval. 

O vereador Luiz Lune resumiu o impasse observando que como todos são favoráveis ao carnaval a falta de repasse às escolas só pode ter dois fundamentos: “ou é birra ou o prefeito tá querendo fritar o vice”, disparou. O vereador Moreira também defendeu o trabalho realizado pelas escolas de samba e lembrou que as mesmas desenvolvem ação social e tira adolescentes e jovens da rua. Em defesa da atuação do vice-prefeito Laércio Lopes, que responde pela pasta da Cultura, a vereadora Joice Silva, disse que o vice está trabalhando com determinação para garantir a realização do carnaval em Taboão.

Comentários

As matérias são responsabilidade do Jornal na Net, exceto, textos que expressem opiniões pessoais, assinados, que não refletem, necessariamente, a opinião do site. Cópias são autorizadas, desde que a fonte seja citada e o conteúdo não seja modificado.