Você está aqui: Página Inicial » Notícias » Saúde

Taboão é a única cidade da região a ter leitos municipais de UTI

Por Sandra Pereira | 3/07/2014

uti_

DivulgaçãoAlto custo de implantação e manutenção dos leitos de UTI impede que cidades mantenham o serviço

Sem comemoração ou solenidade de inauguração a prefeitura de Taboão da Serra pôs para funcionar há algumas semanas 10 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) dentro do Pronto Socorro do Antena. Com isso Taboão passou a ser a única cidade da região a manter por conta própria leitos de UTI em funcionamento. O alto custo do serviço que é de alta complexidade impede que os municípios se disponham a manter UTIs por conta própria. A cidade contava até então com 21 leitos de UTI do Hospital Geral do Pirajuçara, que também atende a população de Embu das Artes.

A “ousadia” da prefeitura de Taboão em implantar os leitos fica evidenciada pelo custo alto do serviço. De acordo com dados do Ministério da Saúde um único leito de UTI custa em média R$ 90 mil, sem contar o salário de pessoal e prestadores de serviço, mas o resultado imediato do investimento é a vida vencendo mais a batalha contra a morte. 

“O Fernando não é muito festeiro. Aliás, sou cobrado pelas pessoas. Você não vai inaugurar isso? Não vai inaugurar aquilo? A verdade é que os leitos da UTI do Antena já estão funcionando. Estamos utilizando parte como semi-intensiva até terminar a reforma da semi-intensiva, mas já colocamos para funcionar”, afirmou o prefeito Fernando Fernandes em entrevista à imprensa. 

Ele disse que ao todo a cidade vai contar com 15 leitos de UTI, que devem estar em plena atividade até agosto, melhorando a qualidade do atendimento aos pacientes graves. Semanalmente o prefeito e sua equipe visitam a obra de reforma do Antena que está sendo todo reformado e ordenado por setores.

Segundo cálculos obtidos em vários sites de especialistas em saúde pública, cada cama de UTI chega a custar em média R$ 22 mil. Um respirador sai por R$ 50 mil e um monitor custam R$ 13 mil. Somando-se outros equipamentos de menor porte, cada leito de UTI custa cerca de R$ 90 mil, sem incluir o salário de pessoal e prestadores de serviço.

Outro dado que comprova o custo elevado do serviço é a diária do paciente em UTI, que pode chegar  a 25 mil reais. Um paciente custa, em média, 1,100 reais por dia. A internação completa de um paciente com septicemia (infecção generalizada) pode custa até R$ 25 mil. Estas são informações do site Ativideira.

No mínimo: quase R$ 5 mil a cada 24hs

Pelos padrões internacionais da OMS (Organização Mundial da Saúde), um dia de internação numa UTI, em qualquer parte do planeta Terra, custa (em dólares norte-americanos) algo em torno de US$ 3.000 = R$ 4.800,00, um valor em reais (moeda brasileira) seis vezes superior ao custo de um paciente considerado “comum” (portador de uma doença de baixa complexidade) internado em enfermaria. 

Comentários

As matérias são responsabilidade do Jornal na Net, exceto, textos que expressem opiniões pessoais, assinados, que não refletem, necessariamente, a opinião do site. Cópias são autorizadas, desde que a fonte seja citada e o conteúdo não seja modificado.