Você está aqui: Página Inicial » Notícias » Cotidiano

Bebê morre após mãe passar mais de 27 horas em trabalho de parto no HGIS

Por Ane Greice Passos | 26/05/2014

bebedentro

Ane Greice PassosEliseu Acácio de Mello, mostra o berço de sua filha Amanda, que morreu no último sábado, 24.

Uma gravidez tranquila e muito desejada, assim foram as 41 semanas que antecederam o nascimento de Amanda Letícia de Mello. Todos os exames e ultrassons mostravam que a bebê estava em ótimo estado de saúde e que seu coração batia normalmente, porém no último sábado, 24, Amanda faleceu no Hospital Geral de Itapecerica da Serra, após a sua mãe Danielle Letícia Antônio passar por um trabalho de parto que durou mais de 27 horas e que, segundo ela, só foi realizada a cesariana quando a neném já estava em risco. 

Muito abalada Danielle, contou para o Jornal Na Net o que aconteceu durante os dois dias em que esteve internada e o sofrimento de não poder ver a sua filha viva. Acompanhada de seu marido, o frentista Eliseu Acácio de Mello e de sua mãe Silvia Letícia, Danielle contou como foram as 27 horas que antecederam o nascimento de Amanda.

 Danielle foi pela primeira vez no HGIS na quarta-feira, 20, e foi orientada, inicialmente, a ir para o pronto socorro, pois no hospital só eram realizados partos de risco. Após conversar com um médico plantonista, a jovem retornou para sua casa, acompanhada da sua mãe, com a promessa que no próximo dia poderia retornar para ser internada e atendida pelo mesmo médico. 

bebedentro2

Na quinta-feira, 21, a jovem foi internada no HGIS, por volta das 15h30. Segundo Daniella às 18h30 a enfermeira aplicou um medicamento para que o trabalho de parto fosse iniciado, pois a gestante não possuía dilatação. Às 6 horas da sexta-feira, 22, outro medicamento foi aplicado, estimulando as dores do parto, após esse procedimento o bebê começou a ter os batimentos cardíacos monitorado a cada hora.

Após mais de 24 horas de internação Danielle não possuía dilatação suficiente para o parto e estava muito debilitada. “Ela não estava aguentando, não poderia ser parto normal. Eu falei: ‘Dr. Não dá para fazer uma cesárea?’ E o médico respondeu que sempre queremos fazer cesárea, mas não tinha necessidade, porque o bebê estava bem e a mãe também e por isso o parto pode ser normal”, disse a avó Silvia.

Às 22h a enfermeira obstetra pediu para Danielle tomar um banho, para induzir o parto, e após o banho o ginecologista seria chamado para tomar as providências. Nesse momento Danielle não aguentava mais de dor e não conseguia fazer mais força. Após 35 minutos no chuveiro e com sangramentos e secreções, a gestante foi encaminhada para sala de parto. 

bebedentro4
“Depois do banho a enfermeira obstetra me examinou e o coração do meu bebê estava normal. Eu disse que eu não estava mais aguentando de dor e pedi para que fosse feito uma cesárea, mas a enfermeira disse que eu estava bem e que ia ser normal”, segundo Danieele após esse atendimento a enfermeira saiu com ela às pressas, informando que o bebê iria nascer.

Danielle disse que ao chegar na sala de parto tinha uma outra mãe com um bebê recém-nascido na mesma sala, e que não foi solicitado que sua mãe realizasse nenhum tipo de higienização. A gestante afirmou para o Jornal na Net que foi hostilizada pela enfermeira, que chegou a falar para que não gritasse, “porque ninguém está aqui para escutar a sua voz”.

A avó de Amanda, chegou a notar um certo desespero e alvoroço das enfermeiras, que após algum tempo na sala de parto chamaram três médicos, que começaram a auxiliar o trabalho de parto. “O médico subiu em cima de mim e colocou o cotovelo para forçar minha barriga ele e os outros faziam muita força para o bebê nascer”, disse Danielle. 

Entre os esforços para o parto dona Silvia, afirmou ter visto o médico colocando o medidor de batimentos cardíacos e logo após começou a correria para fazer cesárea. “Quando eu vi o coração da minha neta bater a 55, eu gritei que eles tinham matado o bebê, porque eles mataram a minha neta”.

Danielle foi encaminhada para a sala de cirurgia por volta das 23h30, mas não pode ser acompanhada pela mãe. “Quando eu entrei na sala de cirurgia eu senti alguma coisa no meio da minha perna e eu sei que era minha filha. Eles pediram para eu relaxar para me dar a anestesia, ficaram tentando furar minha coluna, mas não conseguiram, tentaram umas 4 ou 5 vezes. Eles estavam muito agitados, queriam acabar logo”, afirmou.

Após o parto a mãe aguardou ansiosamente pelo choro de sua filha, porém afirma não ter escutado o choro do bebê. ”Eu estava esperando isso, que iam tirar ela e me dar. Eu não vi minha filha, eu fui ver ela morta no fim do corredor. Isso é que eu não me conformo. O pediatra falou que minha filha tinha nascido com uma baixa frequência cardíaca e logo após a médica que me atendeu falou que minha filha tinha nascido com o “cocô até o nariz”.
bebedentro5
Muito abalada Danielle disse que um dos momentos em que ficou mais nervosa e que acabou chorando muito, foi quando a médica disse que só um milagre salvaria sua filha. “Ela me disse que eu tinha que pedir para Deus para minha filha andar e falar. Eu só queria ver minha filha, eu ouvi o choro de todas as crianças quando nasceram, mas não ouvi o da minha filha. Isso é o que me mata, me deixa mais triste”.

O pai de Amanda estava trabalhando e quando foi informado, correu para o hospital para ver sua filha. Ao chegar no HGIS encontrou sua sogra transtornada, gritando que tinham matado o bebê. 

“Eles deixaram eu entrar na sala do neonatal e a bebê estava intubada e roxinha. Depois de 10 minutos retornei no local e fui informado pelo médico que a Amanda havia falecido, após uma segunda parada cardíaca”, disse Eliseu.

Os pais acusam o hospital de negligencia médica e afirmam que sua filha nasceu morta, porque forçaram o parto normal ao invés de realizaram uma cesárea. Eliseu disse que irá pedir uma sindicância no HGIS e pretende processar o hospital. “Se ela sabia desde o começo que não tinha dilatação, porque não fez a cesárea desde o começo? ”.

Muito abalada e chorando, Danielle fez um apelo para que isso não volte a acontecer com outras pessoas. “Eu não quero que aconteça com outras mães, eu passei nove meses, aguardei ansiosamente por essa criança. Eu queria ver minha filha nascer, eu ouvi o choro de todas as crianças e não ouvi o dela, eu só vi minha filha morta. Ninguém deve passar pelo o que eu passei”.

Eliseu tenta dar força para a sua esposa, que no próximo dia 28 fará 31 anos e esperava comemorar com a filha nos braços. “É uma perda irreparável, é uma cicatriz que vai ficar para o resto das nossas vidas. Por mais que tenhamos mais filhos, esse é um trauma que vai ficar para sempre”, finalizou.

O atestado de óbito de Amanda Letícia Mello foi registrado às 2 horas do dia 24 de maio, como asfixia grave ao nascer. O enterro aconteceu no domingo, 25, no cemitério municipal Recanto do Silêncio em Itapecerica da Serra. 

35º

regina moreira

Debora Comigo aconteceu igual aconteceu com você um tremendo descaso a vida humana ,fiquei 48 horas trabalho de parto ,a noite inteira sem um médico para me dar qualquer informação.Resultado depois de 48 horas de dor o estagiário tenta fazer o parto de um bebê de 4,500 e rasga o meu útero,tive a perda não só de um bebê como também de um útero o que me doí e que nunca mais posso ser mãe.Procure seus direitos porque fazem 11 anos que aconteceu isso comigo e já perdi a causa na cidade que tive o bebê, pois foram todos comprados mais eu não desisto pois Deus é maior e justo.Deus te de forças e consolo a você e sua família!

34º

Andréa Gomes

Eu sei bem oq é isso, tbm esperei pelo meu príncipe e não pude sequer escutar ele chorar, pq cheguei em trabalho de parto, com 36 semanas, e o médico resolveu segurar por falta de uti neonatal q talvez o bebê precisasse, e tudo isso se deu em um hospital particular. Hj ninguém tem mais respeito e valor. Eu sou uma mãe que saiu do hospital sem o filho nos braços.

33º

JACQUELINE ANDRES

É BEM ASSIM MESMO, ELES VEÊM QUE ESTÁ TUDO BEM COM A GESTANTE E O BEBÊ E IMPÕEM QUE VAI SER PARTO NORMAL. E FICAM FORÇANDO, ATÉ QUE A MÃE NÃO ESTÁ AGUENTANDO MAIS DE DOR E O BEBÊ ENTRANDO EM SOFRIMENTO FETAL. QUANDO A SITUAÇÃO FICA CRÍTICA É QUE ELES RESOLVEM FAZER CESÁRIA. MAS MUITAS VEZES JÁ É TARDE DEMAIS. FIZERAM COMIGO O MESMO O MESMO QUE FIZERAM COM A DANIELE.CADÊ NOSSOS DIREITOS? O DIREITO A ESCOLHER O TIPO DE PARTO QUE PRECISAMOS, O DIREITO A ACOMPANHANTE. NÓS SÓZINHAS FICAMOS TOTALMENTE VUNERÁVEIS, ELES NOS JOGAM NA SALA DE PARTO E NOS DEIXAM ALI SOFRENDO. PARA QUE DEIXAR UMA GESTANTE SOFRENDO DOR DE PARTO POR HORAS A FIO? SABENDO QUE ESTÃO EXPONDO OS BEBÊS AO SOFRIMENTO FETAL QUE PODE LEVAR AO SOFRIMENTO FETAL AGUDO E MATAR O BEBÊ? ELES ESTÃO MATANDO E NADA ACONTECE COM ESSES ASSASSINOS DE JALÉCO!INFELIZMENTE A LEI OS PROTEGE. E QUEM PERDE SOMO NÓS.

32º

nicolle

isso é um absurdo como pode, a mae morrendo de dor e nao fazer cesarea

31º

cristina

tive um caso ocorrido tbm no HGIS,minhas gravidez sempre foi de risco,antes de ter minha filha sofri dois abortos.quando eu estava de 7 meses descobri que estava com um dedo de dilatação.o medico do HGIS pediu para mim,tomar enjeção para o pulmãozinho da minha bebe se por acaso ela viesse nascer prematura. quando entrei nos 8 meses....começei a sentir fortes dores,que na verdade. eram dores que começou a vir de 10 em minutos...fui para o hospital do HGIS.e a o passar no medico,eu disse para ele que não aguentava mais de dores.e ele me disse que não tinha nada a ser feito porque aquela dor era porque minha filha esta se encaixando.fui mandado para casa.mais informei a meu marido e familiar que aquela dor não era de encaixe,era uma dor de querer ganhar.fiquei a parte do dia toda sentindo dores,até que chegou anoite.....já não aguentanto pedi para o meu marido ligar para a ambulancia Samu. pois sabia que aquilo não era normal.ao sair da minha casa pedi para que DEUS colocasse um anjo na quela sala do hospital e que se fosse para minha filha nascer na quele dia que fosse feito a vontade dele. ao chegar lá com a equipe do SAMU.fui atendida por uma medica,que me perguntou o que estava acontecendo,no momento em que eu ia dizer a dor veio.conclusão: quando ela foi me essaminar ela informou que minha filha tinha sentado.....e que eu teria que ir as pressas para um parto cesaria. ou seja.se fosse para dar ouvido pelo que o primeiro medico me disse hoje eu não teria minha filha nos braços.fora esse acontecimento não tenho muito o que dizer sobre o hospital....na verdade o erro maior são a falta de proficionalismo...não tem como jugar todos os que trabalhando lá,pois existe medicos que são proficional...como tbm existem outros que nem deveriam esta lá.sintou muito pela perda dessa mãe...que a justiça vem ser feito...pois trazer a filha dela de volta infelizmente não dá para trazer mais que DEUS possa dar muita força para familia!

30º

Patrícia Ribeiro Santos

Eu ganhei meu filho no mesmo hgis...Eu nao tive dilatação e meu Parto foi induzido...depois de 10hs de sofrimento meu filho nasceu e eu tive q ir para sala de cirurgia por ter tido uma complicaçao e meu filho engoliu sujeira de Parto e teve refluxo e uma infecçao nos olhos...e detalhe as enfermeiras so apareceram quando o meu filho ja havia nascido de forma incorreta....A minha sorte foi a minha mãe q estava me acompanhando,se nao fosse por ela ter ido pedir ajuda meu filho teria morrido....lamento pela perda que esses Pais tiveram por negligencia do hospital

29º

lais da silva albino

Eu passei por uma situação parecida tbm no hgis ,felizmente minha filha sobreviveu ...ja estava de 41 semanas qnd comecei a fazer acompanhamento no hgis.Quando num belo dia meu médico disse q tinha 1 dedo de dilatação e achava q minha bebê nascia naquele dia ,mas me mandou voltar p casa e aguardar,se houvesse sangramento ou dor era pra mim retornar p o hospital fosse a hora q fosse. Passou uma noite eu comecei a ter dores a sangrar e minha bolsa estourou ,retornei ao hospitale a médica q me atendeu me examinou e mandou que eu retornasse para minha casa pois continuava apenas com 1 dedo de dilatação, eu a questionei sobre o sangramento e as dores, e ela me respondeu q isso era normal q era para mim retornar no hospital depois de 2 dias q eles me internariam,voltei para casa com dores e sangrando muito...se passaram 12hras eu ja nao aguentava mais meu esposo me levou novamente lá, quando o medico viu o tanto de sangue q eu estava perdendo ele me mandou direto p sala de parto , Mas p ele minha filha ja havia morrido,fizeram meu parto ,mas qnd minha filha nasceu ela não se mexia nem chorava ...."um bolo preto enrrolado" essa era minha filha qnd eu vi isso entrei em desespero e comecei a gritar ,foi ai que foram atras de um pediatra p socorre lá ...depois de um bom tempo q fui ouvir o choro dela e pude me tranquilizar...mas em seguida eles trocaram tds meus exames e afirmavam q eu e minha filha eramos doentes q estávamos infectadas por uma doença sexualmente transmissíveis ,coisa q eu sabia que era impossível pedir p eles refazerem esses exames e eles se negaram ,fui humilhada demais ,milha filha passou por varios tipos de exames e tds deram negativos e mesmo assim eles se negaram a aceitar q eles erraram...hoje corre um processo contra eles.

28º

lais da silva albino

Eu passei por uma situação parecida tbm no hgis ,felizmente minha filha sobreviveu ...ja estava de 41 semanas qnd comecei a fazer acompanhamento no hgis.Quando num belo dia meu médico disse q tinha 1 dedo de dilatação e achava q minha bebê nascia naquele dia ,mas me mandou voltar p casa e aguardar,se houvesse sangramento ou dor era pra mim retornar p o hospital fosse a hora q fosse. Passou uma noite eu comecei a ter dores a sangrar e minha bolsa estourou ,retornei ao hospitale a médica q me atendeu me examinou e mandou que eu retornasse para minha casa pois continuava apenas com 1 dedo de dilatação, eu a questionei sobre o sangramento e as dores, e ela me respondeu q isso era normal q era para mim retornar no hospital depois de 2 dias q eles me internariam,voltei para casa com dores e sangrando muito...se passaram 12hras eu ja nao aguentava mais meu esposo me levou novamente lá, quando o medico viu o tanto de sangue q eu estava perdendo ele me mandou direto p sala de parto , Mas p ele minha filha ja havia morrido,fizeram meu parto ,mas qnd minha filha nasceu ela não se mexia nem chorava ...."um bolo preto enrrolado" essa era minha filha qnd eu vi isso entrei em desespero e comecei a gritar ,foi ai que foram atras de um pediatra p socorre lá ...depois de um bom tempo q fui ouvir o choro dela e pude me tranquilizar...mas em seguida eles trocaram tds meus exames e afirmavam q eu e minha filha eramos doentes q estávamos infectadas por uma doença sexualmente transmissíveis ,coisa q eu sabia que era impossível pedir p eles refazerem esses exames e eles se negaram ,fui humilhada demais ,milha filha passou por varios tipos de exames e tds deram negativos e mesmo assim eles se negaram a aceitar q eles erraram...hoje corre um processo contra eles.

27º

Josias Patriolino

Danielle, só lamento que esta história, que poderia ser muito bonita, tenha terminado assim. Mas, tenha fé em Deus, que, com certeza, ele deve lhe reservar momentos muito mais felizes em sua vida! Um grande abraço!

26º

Stifler

Débora, parto é igual a trem, enquanto está no trilho ele evolui até sem maquinista, ou seja sem obstetra, mas basta sair do trilho para virar uma catástrofe em uma cascata de eventos irreversíveis. Só aceitem fazer PN em local em que haja disponibilidade de centro cirúrgico com material de reanimação neonatal, obstetra, anestesista e neonatologista, e fuja de hospitais administrados pelo SUS ou enfermeira petista, elas parecem ser masoquistas.

25º

Débora Carvalho

Minha filha nasceu também no HGIS - e eu nem sei o que dizer dessa história. Comigo foi tudo tão diferente... Estou em choque, pensando como seria se fosse comigo.

24º

Stifler

Mulheres, isso nada tem a ver com incompetência médica. Essas mortes de bbs ocorrem por culpa do Governo que obriga o médico ir até o fim com essa história de PN. Para o Governo 10 bbs mortos não paga 1 cesariana. Se os PTistas pudessem legalizavam o aborto, aí na cabeça deles é deixar os bbs morrerem mesmo. Cuidado com as toulas, digo doulas, são imperitas e só pensam no dinheiro.

23º

Jesuita Coutinho

No ano passado, 10 de agosto, aconteceu algo similar neste mesmo hospital, só que a vida "ceifada" foi a da mãe - NILSA APARECIDA FERNANDES - que exausta pelo sofrimento a espera de parto normal deu à luz ao LUCAS e 3 hs depois entrou em óbito deixando-o órfão. Alguém precisa fazer algo para punir e acabar com essas barbáries.

22º

Monica

Passei por isso também esse procedimento acontece en todos os hospitais publicos de sp. Eles nunca vão fazer a cesaria de primeira só fazem a cesaria no caso de ser a terceira ou se ha risco para o bebe minha segunda filha ficou com arritimia pois apesar de eu ja ter feito uma cesaria anteror pelo fato de não ter dilatação eles forçaram um trabalho de parto por 17horas. Lembro que como o hospital era o santa casa e a gente é atendido por estudantes e se vc está em trabalho de parto e acabou o turno do médico vem outro e continua a tortura é toque a cada 10min e por ai vai. Lembro que depois que a bebê nasceu o médico foi no quarto com uns 3 alunos e aou ler o relatório do parto falou pros alunos porque não fizeram logo a cesaria? Esperaram a bebê correr risco sabendo que a mae nao tem dilatação. .. e afirmou isso são ordens do governo só se faz cesaria se depois dentodas as tentativas de parto normal não derem certo e o bebê correr riscos. Ja da pra perceber qie a maioria dos bebês chegam a tee risco dr morte para poder nascer. Isso porque o custo da cesaria é alto e o governo tem que gastar com os estadios dabcopa!! Bosta de pais!!

21º

Daniela Santos

Dani eu vi sua carinha de sofrimento; de dor; te dei um abraço e desejei felicidades mamae; você ainda pediu pra mim avisar minha irma que vc teria bebe. Mas infelizmente por conta de PROFISSIONAIS INCAPACITADOS; hoje a Amandinha não esta com agente. Que Deus conforte o seu coração . -ACORDA BRASIL; MENOS ESTÁDIOS E MAIS HOSPITAIS; PORÉM HOSPITAIS COM VERDADEIROS PROFISSIONAIS.

20º

Darlete

Amiga Dani força... o q vc passou não foi fácil! Mas Deus irá te conforta neste momento tão difícil (Amanda Deus esta te recebendo com moito amor)

19º

leonardo

Pois é mais um caso absurdo da equipe medica de Itapecerica .... E o pior que não é um fato isolado pois alguem lembra do bebe que morreu no mesmo hospital por a infermeira o derrubou apos o parto?... Enfim essa saúde publica esta horrível.. Uma vez quebrei o dedo da mao estava super inchado e com varias partes expostas.. Demoraram mais de 10,horas para imobilizar minha mao. Fora o medico que nem se quer chegou a examinar a mão... Gracas a deus tenho a condição e tenho um convênio... Pois essas noticias só me fazem reforçar o meu pensamento... Só entro no HGIS em ultima caso de escolha..agora w quem não tem condições de num convenio??? Vai sofrer ate quando com esses médicos e enfermeiras de mal humor e mal treinados?

18º

Monica

Sinto muito. Sou mãe tive meus dois filhos no Hgis, tenho um recem nascido e eles nasceram praticamente se nehuma ajuda dos medico eles foçam normal ate o ultimo, so tenho como rezar por esses pais.

17º

ADRIANA DE JESUS E MEIRE

POIS É, ESTE PAIS DESUMANO EM QUE VIVEMOS, PAGAMOS IMPOSTOS, OS GOVERNANTES GANHAM A NOSSAS CUSTAS, E OS HOSPITAIS NÃO QUEREM GASTAR COM CESAREA, SENDO QUE O DINHEIRO SAI DO NOSSO BOLSO,DEVERIA TER LEI, SER OBRIGATORIO A CESAREA CASO NAO FOSSE POSSIVEL PARTO NORMAL. ESTE E O PAIS EM QUE VIVEMOS CORRUPTO, MERCENARIOS, E INSENSIVEIS, MEDICOS QUE NAO RESPEITAM A ETICA DA MEDICINA, TRABALHAM POR DINHEIRO E NAO POR AMOR A PROFISSAO, SENTIMOS MUITO PELA SUA PERDA , ESPERAMOS QUE NAO ACONTEÇA COM OUTRAS PESSOAS ..

16º

Stifler

Vivi, vou te dizer qual o perfil das doulas. Pessoas procurando ganhar $ fazendo parto normal como "bico" renda extra. Durante toda a gravidez elas fazem lavagem cerebral nas gestantes para aceitarem a assumir o risco de um natimorto ou sequela neurológica em uma aventura "mar de flores" em parto domiciliar "humanizado". Se o bb morrer ou ficar com sequela, ela dá a bênção e diz que foi pq Deus quis.

15º

Stifler

Passar mais de 12h em TP sofrido e não vislumbrar a possibilidade de lançar mão da cesariana arriscando a saúde do bb só para provar a si que "é capaz" de ter PN, dizer que é parideira. Isso é ser xiita. Depois não reclama se a justiça expedir mandato para a levar para fazer a cirurgia. O estatuto do nacituro está aí. Arriscar uma vida toda de um ser vivo por conta de ideologias que vão contra toda uma ciência. Ah, só para avisar que com essa onda de revolta que estão criando contra os obstetras em poucos anos sentirão a dificuldade que vai ser encontrar um obstetra que aceite fazer teu parto. Mais e mais obstetras estão abandonando essa área e se dedicando só a ginecologista. Vai ser tão difícil encontrar obstetra quanto pediatra. Médicos já estão pensando 2 vezes antes de seguir GO. O preço de fazer um parto só vai aumentar e aumentar. Aí sim, vcs vão fazer PN em casa por falta de opção. Existem maternidades "modelo" que forçam o PN a qualquer custa só para alcançar a estatística de menos de 15% em cesarianas em troco de incentivos monetários do Governo. O diretor do hospital chega a repreender os obstetras que não estão "colaborando" com a meta e o resultado vez por outra é um natimorto. Absurdo! Quem teve PN e foi mil maravilhas vai defender com todas suas forças seus pontos de vista. Porém, cada mulher tem suas individualidades físicas e emocionais, logo não tomem para si as experiências alheias. Conheço várias senhoras com prole muito numerária que de suas gestações obtiveram desfecho de natimortos menos de 50%. Mas qual a mulher hoje em dia tem controle emocional para perder uma gestação sequer. Percebo que as mulheres de outrora, período pós guerra eram muito mais frias. Vejo muita gente se apegando a publicações científicas sem ter condições de fazer uma bela crítica da metodologia do estudo. Acredita-se que 50% do que é publicado ou há erros graves ou foi fraudado. Por isso afirmo, ninguém pode dizer o que é melhor que um bom médico experiente. Nada substitui sua experiência. Até porque cada população de estudo tem suas características sociais, culturais, econômicas próprias. Essa de dizer que cesariana tem 5x mais risco de desfecho fatal é piada, viés de pesquisa. Quero ver estudo muito sério randomizado caso-controle provar isso. Mt fácil culpar cesariana depois de insistir horas e horas em PN mal indicada.

14º

Rosana Silva

Acho que os pais tem mesmo que processar o HGIS por negligência, médicos e tudo mais. pq ficar mais tempo do que o necessário sentindo dores, e ninguém fez nada, esperando que abrisse uma passagem do nada, sendo que nem dilatação a moça teve em tempo hábil. Demorou para que fizessem essa cesárea e perdeu-se um anjinho inocente por quê? qual motivo? Revoltada mesmo...Meus sentimentos a essa família, uma dor que não se apagará tão cedo, ou nunca.

13º

Talita

isso foi um assassinato! Parto normal quando a natureza permitir! Cesárea salva vidas sim! Doulas tem seu valor- e diga-se de passagem estão muito valorizadas! Enfermeiras são excelentes obstetras, médicos trabalham com maestria, mas nada disso vale se não houver respeito ao ser humano em primeiro lugar! é claro que a taxa de parto cesárea está alta, mas até que ponto teremos que perder vidas tentando um parto natural desumanizado para evitar esse procedimento cirúrgico?! Tenhamos bom senso! Vamos seguir protocolos quando for permitido! Cada parturiente é uma parturiente! Absurdo total! Descaso com o ser humano! E agora onde estão os defensores do parto normal? Nesse caso as doulas falam o que? Nada né? elas assumem papel de médicos se arriscando em partos domiciliares (desnecessários) e quando surge um escândalo desse não vejo nenhuma se manifestando! Cobrar cerca de 2 mil para acompanhar uma gestante vcs querem né?

12º

Doroteia r mendes

Eu sei que fatalidade pode acontecer mais no caso da minha amiga Dani e tua filha Amanda Não foi o que aconteceu, e sim o pouco caso de médicos que jurarão salvar vidas, esta aqui a prova de que no caso da Amanda eles tirarão sua vida, era tão simples fazer uma Cesárea. Hoje Amanda poderia esta aqui no colo de sua mãe... Eu espero que a morte da minha sublinha Amanda não seja mais um caso arquivado e sim o fim de outra morte... Que outra mãe não passe pelo que minha amiga (irmã de coração) esta passando agora... to rezando todos os dias por ela e pela Amanda ...... Sei que nem sempre a justiça do homem e feita, por isso confio da justiça de Deus. Dele eu confio e tenho certeza que os médicos que trataram minha amiga e tua filha com tanto pouco caso serão julgado por Deus... Sua amiga Doroteia

11º

Viviane

parto natural e humanizado é aquele que respeita a mãe e o bebê!!! essa mãe foi desrespeitada e o bebê teve sua vida ceifada por uma equipe infeliz que seguiu um protocolo e não a vontade da mãe em ter suas filhas nos braços!!! se essas doulas que defendem tanto o parto natural e humanizado quisessem realmente mudar o cenário da obstetrícia- trabalhariam de graça e não cobrariam um absurdo de caro! Em juiz de fora as "doulas" desprendidas cobram 3 mil para um parto domiciliar! e se der "zebra" o que elas vão fazer?!?! por favor gente! vamos acordar! parto normal quando for possível e cesárea quando tiver indicação! para quê marcar para sempre a vida de uma família para apenas seguir a orientação de se tentar o PN a todo custo?!?!?

10º

Luana

Nossa eu não sei pq eles falam que so atendo gravides de risco, aconteceu a mesma coisa comigo o medico não queria me internar pq minha gravidez não era de risco a cabei falando um monte para ele quando foi ve minha dilatação ja esta com 8 dedos, tenho um bebê especial hoje em dia... no periudo que ele ficou internado o tratamento foi perfeito, não era para meu filho esta vivo hoje mas grças a Deus cuidaram muito bem dele, na gravides da minha irmã foi de risco ela fez todo tratamento no hospital foi maravilhoso mas na hora da nenem nascer as enfermeiras foi surper grossa com ela eu presenciei varias grosserias ate o ponto de eu xingar todas pq estão la para trabalhar e não para criticar os gritos de dor, Bom é de revoltar espero que Deus possa confortar coração dessa familia.

Caroline

Se o médico não deixa as enfermeiras fazerem o parto é centralizador e prepotente, mas na hora que elas não reconhecem os seus limites e não sabem a hora certa de chamar o médico é negligência médica??? Desculpa mas a nomenclatura está errada aí, negligência da enfermagem talvez?? E se ele tivesse indicado a cesárea e a mãe não quisesse? Como o caso Adelir? Seria violência obstertrica?? As doulas ficariam alvoroçadas?? Isso é o reflexo das políticas públicas de saúde que querem que as enfermeiras façam partos para contratarem menos médicos, e gastarem menos. Veja se a filha de algum prefeito ou deputado vai nascer com enfermeira ou parteira? Vai é nascer com o melhor obstetra na cidade...

stifler

ATENÇÃO: Não caiam na conversa das doulas PTistas de que parto domiciliar "humanizado" é seguro para gestantes saudáveis e pré-natal perfeito. De toulas não tem nada, ganham de R$800-1.200 por acompanhamento e convencem as futuras mães a assumirem um grave risco a sua saúde e do bebê. Esse "mercado" de doulas e parteiras movimenta muito dinheiro e há muitos interesses envolvidos aproveitando-se da fragilidade emocional das gestantes. A insanidade chegou a tal ponto de prometerem parto normal "orgásmico" na tentativa persuasão. O Governo tem estimulado o parto "humanizado" em casa por sair mais barato para o "sistema". É esse mesmo Governo que cortou a indicação e financiamento da mamografia em mulheres entre 40-50 anos, uma faixa etária importante para detecção de pelo menos 40% dos tumores mamários. Vejam por exemplo o que ocorreu com uma doula ativista do parto humanizado que morreu junto com o bebê na Austrália em um parto "humanizado em casa". Essa história de que a mulher tem decisão sobre seu corpo sem levar em consideração a saúde do feto vai acabar com o estatuto do nacituro. O Estado é quem irá tutelar o que é melhor. Vejam o perfil dos partos que levaram a sequela por asfixia perinal: a parturiente possui idade entre 21 a 35 anos (59,3%), é primigesta (50,6%), durante a gestação realizou mais de 06 consultas pré-natais (63,7%), e não teve nenhuma intercorrência na gravidez (71,3%). Não é tabagista (90,4%) nem faz uso de bebida alcoólica (94,8%), realizou parto NORMAL (51,9%) com apresentação CEFÁLICA (85,4%), não apresentando circular de cordão (82%) e com líquido amniótico claro (78,9%). Com idade gestacional entre 37 e 41 semanas e 6 dias (75,9%). O Índice Apgar no primeiro minuto de 7 (50,2%) e entre 7 a 10 no quinto minuto (89,8%), pesando mais que 2.500g (79,3%). Não necessitando de reanimação (59,6%). CONCLUSÃO: se com todas essas condições favoráveis para que haja um parto saudável ainda houve risco de o bebê ficar com sequela neurológica e vida vegetativa, imagina quando há alguma anormalidade ou intercorrência. Se seu obstetra lhe aconselha a realizar parto cesareo, não pense 2 vezes em aceitar e agradeça pelo conselho sincero e pelos avanços da vida moderna. Não corra o risco de ter complicações perineais, incontinência urinária, dor ao urinar, hemorróidas, dor desumana, marido vai querer procurar outra depois qua a vagina ficou "frouxa" devido ruptura de fibras de colágeno, perda da elásticidade, frouxidão da musculatura, pode haver hipersensibilidade e dor crônica vaginal, bebê quebrar um osso na descida. Por tanto não entrem neste modismo em que quem sai ganhando é o Governo que está economizando com você. O que mata não é parto cesáreo mal indicado, e sim parto normal. Vejam essa notícia sobre a conduta catastrófica de doulas querendo parto normal humanizado a todo custo com a história de que não há indicação absoluta para cesárea e de que a gravidez foi tranquila e exames normais e depois a mãe arrependida de ter escolhido parto humanizado. Mas aí fica todo mundo caindo de pau em cesárea que a mãe tem direito de ter parto normal... Que dar ocitociba é crime... Que toque é crime... Querem parto em casa e não sei mais o que... Ta aí: se acostumem pq vai morrer muita mãe e criança com essa endemonizacao da cesárea...

silvana sprovieri

Lamentável!Não podemos confiar na saúde pública.Uma vergonha!!!!Meus sinceros sentimentos á família e principalmente á essa mãe que sofre hoje pela negligência médica.Deus abençoe e proteja vocês, pois se precisarmos de ajuda e proteção do poder público, morreremos todos, como seu bebe. Meus sentimentos....

Cristina

Sei que o natural para o nascimento de uma criança é o parto normal, só que isso nem sempre é possivel, acontece que nos hospitais públicos eles costumam esperar muito tempo para que não seja preciso fazer cesariana, passei pelo mesmo quando fui ter meu filho, foram 17 horas de trabalho de parto e ele nasceu com infecção por ficar muito tempo sem o liquido do utero.É tudo errado neste nosso sitema de saude, quando vc vai para hospital particular só fazem cesaria, no publico querem forçar todos os partos a serem normal, pelo amor de Deus, onde está o bom senso do ser humano; e outra coisa as mulheres em trabalho de parto tem todo direito de berrar de dor na hora de parir, é ela que tá sofrendo, até isso querem nos tirar, mulheres que gritam muito na hora de ter bebê são mal tratadas, isso precisa acabar, mulheres denunciem abusos, esta é a nossa hora, e ninguém pode nos imperdir de expressamos nossa dor.

Geraldo

o descaso de médicos e enfermeiros é o que mais revolta, pensam que sabem tudo e maltratam os pacientes...cambada de imbecis...salvo raras exceções. Alguns deveriam ser presos para servirem de exemplo, e a lei deveria ser rígida quanto ao horário de trabalho pois eles querem trabalhar 24 horas por dia em vários empregos e no serviço público eles vão para dormir.

Mms

Mas aí fica todo mindo caindo de pau em cesárea que a mãe tem direito de ter parto normal... Que dar ocitociba é crime... Que toque é crime... Querem parto em casa e não sei mais o que... Ta aí: se acostumem pq vai morre muita mãe e criança com essa endemonizacao da cesárea...

Marta

Passei pelo mesmo processo no Pronto Socorro.....um show de horror...tenho trauma até hj e,graças a DEUS estou com meu filho hj com 6 anos,mas e essa mãe,sofreu,sofreu e aí?..cade a filha dela???.....INDIGNADA.....

Marly

Nossa lamentável, pior q aconteceu isso comigo tbem,nas minhas duas gravidez, sempre forçam a gente ter parto normal mesmo sem dilatação!!! Mais graças a Deus meus filhos estão bem! Força Danielle( amiga de escola) q a justiça de Deus seja feita, que Deus conforte seu coração e de sua família!!!

Gabi

Meu Deus que absurdo!! Que Deus conforte o coração dessa mãe!!

26/06/2017

Jovem PM feminina inspira e incentiva sonhos de estudantes em Taboão

Com sorriso aberto, simplicidade, carisma, olhos e rosto bem maquiados a policial militar Sara...

26/06/2017

1ª Caminhada contra as drogas mobiliza Embu-guaçu e reúne mais de 2 mil pessoas

Mais de duas mil pessoas participaram da 1ª Caminhada contra as drogas realizada pelos Policiais...

25/06/2017

Quentão do Taboão começa na sexta e promete agitar finais de semana

A esperada Arena Multiuso de Taboão da Serra vai ser aberta ao público nesta sexta-feira, 30,...

21/06/2017

Polícia Militar vai dobrar quantidade de motos da Rocam em Taboão e Embu

Desde o dia 8 de junho o tenente-coronel PM Marcos Vitiello assumiu o comando do 36º Batalhão de...

20/06/2017

Força Tática vai voltar a atuar em Taboão, Embu e Itapecerica da Serra

Sete meses após deixar os municípios de Taboão, Embu das Artes e Itapecerica da Serra a Força...

18/06/2017

Tapetes de Corpus Christi encantam fiéis nas ruas de Itapecerica, Taboão e Embu

Emoção, fé e muito trabalho marcaram o feriado de Corpus Christi nos municípios de Taboão da...

18/06/2017

Estado tem 1.034 vagas para Agente de Segurança Penitenciária

Quem quiser trabalhar como Agente de Segurança Penitenciária pode se inscrever até o dia 1° de...

16/06/2017

Polícia Civil de São Paulo tem aumento no déficit de agentes

As contratações realizadas pelo governador Geraldo Alckmin (PSDB) no último mês de maio não...

01/06/2017

Concurso da Câmara de Taboão encerra inscrições nesta sexta-feira, 2

A Câmara Municipal de Taboão da Serra encerra nesta sexta-feira, 2, as inscrições de seu...

29/05/2017

Diário Oficial de São Paulo será publicado exclusivamente em versão digital

Seguindo uma tendência do mercado global e caminhando em direção a um futuro moderno e...

26/06/2017

Jovem PM feminina inspira e incentiva sonhos de estudantes em Taboão

Com sorriso aberto, simplicidade, carisma, olhos e rosto bem maquiados a policial militar Sara...

26/06/2017

Polícia Civil prende homem que extorquia mulher com vídeo erótico

Na tarde de quarta-feira (21/6), policiais civis do 92º Distrito Policial (Decap) prenderam um...

26/06/2017

Eleição define as integrantes do Conselho da Mulher de Itapecerica da Serra

Uma eleição geral realizada na tarde dessa segunda-feira (19), no Auditório José David...

As matérias são responsabilidade do Jornal na Net, exceto, textos que expressem opiniões pessoais, assinados, que não refletem, necessariamente, a opinião do site. Cópias são autorizadas, desde que a fonte seja citada e o conteúdo não seja modificado.