Você está aqui: Página Inicial » Notícias » Cultura

Mestre Assis do Embu uma história de vida e amor à arte

Por Sandra Pereira | 21/03/2014

assis__1_

Divulgação Mestre Assis é um dos pioneiros da história da arte no município de Embu das Artes

Já faz sete anos que Embu das Artes perdeu um dos seus maiores e mais importantes artistas: o Mestre Assis de Embu. Ele fez da arte sua vida, amor e legado. Partiu deixando uma vasta produção cultural, sete filhos, esposa e reconhecimento que extrapola as fronteiras nacionais. Neste dia 21 ele completaria aniversário de nascimento. O “barraco” do Assis onde o mestre dividiu com a esposa e filhos a convivência com vários artistas ficou famoso entre personalidades e intelectuais no auge de sua existência. O local se tornou foco de resistência à ditadura militar.

A arte habitava o espaço e seus habitantes em toda a sua essência. No barraco localizado entre a rua Siqueira Campos até a Padre Belchior se tornou um símbolo da resistência cultural. Lá a coletividade se sobrepunha aos interesses pessoais e todos compartilhavam tudo.

“O barraco do Assis sempre recebeu muita gente. Vários artistas importantes passaram por lá antes de conquistar sua casa aqui no Embu. Lá meu pai ensinava amigos e criança. Me recordo das festas e da presença dos gringos. Uma vez recebemos os novos baianos”, lembra saudoso Bira do Assis, filho do Mestre Assis. 

O barraco do Assis protagonizou fatos pitorescos nos anos de chumbo da ditadura militar. O delegado Jorge Miguel se infiltrou no barraco para ver se havia comunistas lá. Depois se tornou amigo do Mestre Assis e acabou contando pra ele que estava lá a pedido do Dops. O mestre também foi denunciado por um açougueiro aos militares por conta de uma dívida contraída para alimentar os muitos moradores do barraco. 

Quando o Mestre Assis chegou a Embu em 2 de outubro de 1959 não imaginava a relação que teria com a cidade e a arte. A família se queixa que amor incontestável dele pela arte e pelo Embu jamais foi reconhecido pelo Poder Público. Um dos filhos dele, Bira do Assis, luta para manter acesa a chama da arte e da vida propagada pelo pai. Ele lamenta o falecimento do irmão, Didi, que segundo o Mestre Assis seria melhor que ele mesmo.
“Enquanto eu viver e estiver aqui vou levar a arte e o nome do meu pai. Ele está vivo na memória de muita gente pelo mundo afora. Foi meu Pai que fez o Embu ser das Artes, embora nunca tenha tido o reconhecimento devido. Sempre faço trabalhos e levo o nome do pai à várias atividades. Fizemos 4 semanas Mestre Assis e agora não tivemos mais apoio. O poema dele, Margaridas, é recitado e lembrado com frequência”, afirma Bira. 

Ele lembra que inicialmente o pai foi atraído pelo artista Cássio M’ Boi o Mestre Assis, que se tornou ao lado de Solano Trindade e Sakai de Embu os pioneiros na luta pela arte. Eles faziam verdadeiras incursões à praça da República divulgando sua arte e trazendo visitantes para conhecer Embu das Artes e sua incipiente produção cultural. 

“Meu pai é muito homenageado lá fora e ainda é pouco reconhecido na cidade. Não podemos deixar a memória dele se perder”, observa. 

A vida do Mestre Assis é repleta de fatos pitorescos. O filho lembra quando um general foi deposto depois de literalmente “cair na farra na companhia do pai”.

De Minas Gerais para o Mundo


O Mestre Assis nasceu na cidade mineira de Campos Gerais no dia 21 de março de 1931. O nome de batismo Claudionor Assis Dias perdeu a força diante do nascimento do mestre das artes. Assis não conheceu os pais biológicos, foi adotado por um alfaiate de uma tradicional família mineira. Era afilhado da família Mourão que o queria ajudar a se formar advogado. Mas o amor do mestre pela arte o impediu de voltar e completar os estudos. Foi motivado pelo desejo que conhecer a mãe biológica que ele saiu de Minas para São Paulo. Aqui conheceu Cássio M’ Boi, Sakai e Solano Trindade. Os três juntos viveram os anos dourados da arte embuense. 

Foi na infância que o gosto pela arte, tomou o mestre. Ele se divertia ao esculpindo bonecos com barro e madeira. Também tinha apreço especial pelo teatro, que no futuro lhe rendeu participação em vários filmes. 
Antes de fincar raízes em Embu das Artes o mestre Assis esteve em São Paulo. Passou quase dois meses sem ter residência fixa, foi engraxate, pedreiro, sofreu as amarguras de quem vive nas ruas, foi preso e por fim resolveu voltar a Minas Gerais. Antes disso, em 1954 ganhou o primeiro lugar no prêmio de uma exposição patrocinada pelo SESI e participou de algumas exposições.

Eunice Schenitzki

Meu tio Claudionor eu conhecí em meus tempos de criança, quando êle ia á Campos Gerais visitar meu pai: o Sr. Geraldo da Silva, alfaiate como seu pai e irmão do Tinô, como nós o chamávamos. Meus avós paternos haviam adotados o tio Claudionor. Já vivo á quase 40 anos na Europa, mas não esqueço de minhas raízes e me recordo com carinho do "Tio Nô" !

THE KID.

Homenagem ao Mestre Assis ele foi meu amigo a vida do artista e a lembrança do ator ( BIRA) O poeta não precisa de Palavras tinta folha e rimas não precisa fingir um prazer que é quase impossível ele tem olhos no coração e na alma sua boca não precisa de subterfúgios ele tem o mais precioso dos brilhantes o dom de sentir e expressar em linhas a sua essência e seu magnetismo único.thekidescritor@hotmail.com

13/07/2017

Mostra Cultural do Projeto Aparecendo aconteceu domingo no Cemur

O projeto Aparecendo, que conta com o apoio do vereador Cido, foi realizado no  domingo, dia 8,...

12/07/2017

Corra e compre já seu ingresso para o rodeio de Itapecerica

Quem quiser aproveitar os shows do último final de semana da 39° edição da Festa do Peão de...

07/07/2017

Fim de semana tem rodeio em Itapecerica e quentão em Taboão

Neste fim de semana, Taboão, Embu e Itapecerica da Serra possuem diversas atrações que prometem...

03/06/2017

Fim de semana no Embu tem cultura no bairro, maracatu, dança, música e futebol

Fique por dentro das atrações culturais e esportivas promovidas pela Prefeitura de Embu das...

29/05/2017

Taboão teve duas mulheres palestrantes na 1ª Virada Feminina de São Paulo

Taboão da Serra teve duas representantes entre as palestrantes da 1ª Virada Feminina ocorrida...

26/05/2017

1º Fórum de Cultura & Arte de Embu das Artes acontece neste sábado (27)

A Secretária Municipal de Cultura irá realizar no próximo sábado (27), O primeiro Fórum...

25/05/2017

Abolição da escravatura é comemorada com atividades culturais em Taboão

Dia 13 de maio é comemorado a Abolição da Escravatura. A data homenageia a Lei Áurea, sancionada...

22/05/2017

Seminário com autoridades debate racismo em Itapecerica

Raças, credos e gêneros, todos juntos discutindo uma sociedade sem discriminação, mais...

10/05/2017

Festa de Santa Cruz anima público com diversidade de cultura popular

As secretarias de Cultura e a de Turismo da Prefeitura de Embu das Artes realizaram nos dias 5,...

05/05/2017

Ricardo Ozcar lança segundo CD no Pé da Serra em Embu

Explodiu! Na véspera de feriado, 30/04, a Casa de Shows Pé da Serra, em Embu das Artes, foi o...

As matérias são responsabilidade do Jornal na Net, exceto, textos que expressem opiniões pessoais, assinados, que não refletem, necessariamente, a opinião do site. Cópias são autorizadas, desde que a fonte seja citada e o conteúdo não seja modificado.